Ano 2 – nº 039 / sexta-feira, 21 de março de 2014

Fique atento às atrações do programa de rádio “Pensar a Educação, Pensar o Brasil” do dia 24 de março de 2014

Todas as segundas-feiras, das 20h00 as 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela rádio UFMG Educativa 104,5 FM. No próximo dia 24 de março daremos continuidade à série dedicada a memórias dos 50 anos do Golpe de 64. Para o terceiro programa da série, teremos a presença do Professor Eduardo Galak (Argentina). Como sessão especial teremos Sons e Literatura no Ar com o Professor Marco Scarassati (UFMG) e Josiley Francisco (UFMG), além da agenda educativa, sorteio de livros e muito mais! Você pode ouvir pela internet acessando AQUI.

Rádio UFMG Educativa faz série para relembrar os 50 anos do Golpe Militar no Brasil

Serão, ao todo, 50 programas que começam a ser veiculados no dia 10 de fevereiro e vão até 31 de março de 2014, data em que completam 50 anos do Golpe. Na página do projeto você poderá acompanhar todo o processo de produção, ouvir os cinquenta programas e ter acesso a material extra, como vídeos e imagens produzidas e recolhidas pela equipe. Acesse: www.50anosdogolpe.tumblr.com

VIII SEMINÁRIO ANUAL DO PENSAR A EDUCAÇÃO PENSAR O BRASIL, PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014

Na próxima quinta feira, dia 27 de março, as 19 horas, acontece no auditório da Faculdade de Educação da UFMG, no Campus Pampulha, o segundo seminário do projeto “Pensar a Educação, Pensar o Brasil – 1822/2022” de 2014. Este ano o tema é “Universidade pública: inclusão, diversidade e qualidade” e o convidado do mês é o Prof. Marco Aurélio M. Prado. Contamos com a participação de todos!

Entenda como funciona o Sisutec – Portal Brasil

Desde 2013, os estudantes que fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem, além de concorrer a vagas nas instituições de ensino superior cadastradas, tentar ingressar em cursos profissionalizantes em instituições de educação profissional e tecnológica. As inscrições são feitas por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), o sistema informatizado no qual instituições públicas e privadas de ensino superior e de educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos.

Mulheres são maioria nas inscrições do Sisutec. Prazo termina nesta sexta-feira – Revista Gestão Universitária 

De acordo com balanço das 18h30 de quinta-feira, 20, do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) as mulheres representam 58,66% dos candidatos que buscam uma vaga na educação profissional e tecnológica, com 815.844 inscrições. Enquanto os homens registram 337.287 inscrições, o que representa 41,34% do total.Até o momento, o Sisutec já registrou 815.844 inscrições. O prazo para que os candidatos se inscrevam, exclusivamente, on-line vai até esta sexta-feira, 21 de março.

Pré-vestibular cobra taxa de R$ 400 por ‘cadeira personalizada’ – Jornal O Tempo

Uma taxa paga por alunos de um pré-vestibular privado de Montes Claros, no Norte do Estado, para conseguir lugares privilegiados dentro de salas de aula, vem gerando muita polêmica na cidade. O caso foi parar no Ministério Público e no Programa Estadual de Defesa do Consumidor (Procon) após um aluno denunciar o pagamento de R$ 400, por ano, por assentos nas primeiras fileiras da instituição. A escola já foi notificada e afirmou que vai retirar os espaços reservados.

Procuram-se professores – Portal Dom Total

Assim escreveu Nicholas Kristof, jornalista ganhador de dois prêmios Pulitzer, em uma coluna do New York Times, publicada em 15 de fevereiro: “Alguns dos pensadores mais inteligentes sobre questões domésticas ou do mundo ao redor são professores universitários, mas a maioria deles simplesmente não tem importância nos grandes debates de hoje”. O puxão de orelha veio de longe, mas a distância não reduz a pertinência, tampouco o efeito.

Pedido de vista adia votação do relatório do PNE na Câmara – Portal Undime

Pedido de vista coletivo, de deputados da comissão especial da Câmara que analisa a proposta do Plano Nacional de Educação (PNE), adiou hoje (19) a votação do parecer apresentado pelo relator da matéria, deputado Angelo Vanhoni. Agora, a votação terá que aguardar o prazo mínimo de duas sessões ordinárias do plenário da Câmara.

Posicionamento Público – Um PNE pra valer exige a complementação da União ao CAQi e ao CAQ – Campanha Nacional Pelo Direito à Educação

Assinada por todos os membros do Fórum, que congrega organizações e movimentos da sociedade civil, confederações sindicais e representantes de gestores públicos municipais, estaduais e do próprio MEC, a 21ª Nota Pública do FNE – em defesa e em respeito às deliberações da Conferência Nacional de Educação de 2010 (Conae-2010) – solicita que os deputados e as deputadas da Comissão Especial: (continua)

Uma escola para todos – Revista Educação

Ao incluir alunos com deficiência, a instituição escolar muda sua perspectiva de mundo, ajuda professores a repensarem seu papel e contribui para a construção de uma nova geração – aquela que sabe que, entre as diferenças, todos somos iguais.

Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação são temas da agenda do desenvolvimento, diz ministro Clelio Campolina – Jornal da Ciência

Em sua primeira entrevista coletiva como ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina, afirmou que sua gestão terá foco na educação, ciência, tecnologia e inovação. Segundo ele, esses são os instrumentos centrais para um projeto de desenvolvimento capaz de combinar crescimento econômico, justiça social e sustentabilidade. O evento ocorreu na tarde desta quarta-feira (19) na Reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte.

O crescente papel dos estados no apoio à pesquisa científica – Academia Brasileira de Ciências

Por muitos anos, a atividade científica no Brasil cresceu graças à presença crescente e marcante do então Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq), hoje Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, criado em 1950. Quase simultaneamente foi criada a Capes e, anos mais tarde, o que é hoje a Finep. O CNPq e a Finep são instituições vinculadas ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a CAPES ao Ministério da Educação. Com a participação destas três instituições, a ciência brasileira cresceu com o apoio quase que exclusivo do governo federal.

Mulheres ainda são minoria na ciência, revela estudo – Jornal Zero Hora

O papel das mulheres na pesquisa científica progrediu em todo o mundo durante a última década, mas a paridade está longe de ser alcançada, com menos de uma pesquisadora para cada três pesquisadores, revelou um estudo publicado nesta quarta-feira.

Largada na educação – Jornal O Globo

Um estudo recente da Fundação Getúlio Vargas mostra a importância da educação infantil no desenvolvimento. É nos primeiros anos de vida que se dá a maior parte do desenvolvimento cerebral e se estrutura a capacidade de melhor aprendizagem do que está por vir (o que produz novas habilidades). O impacto dessa constatação, antes já apontada pela psicologia da aprendizagem e pela neurociência, estende-se não só pelas trajetórias individuais — quem teve acesso à formação precoce tem mais chances em sua vida futura —, como também para a própria sociedade.

Em 90% dos cursos do Sisu, negros têm nota de corte menor entre cotistas – Portal G1

Os candidatos de escola pública que se declaram negros, pardos ou indígenas e que foram aprovados na edição do primeiro semestre do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) neste ano tiveram nota de corte menor que os cotistas da rede pública sem distinção de cor em 90% dos cursos. O G1 obteve com exclusividade os dados do Ministério da Educação via Lei de Acesso à Informação, e publica, desde quarta-feira (19)e até sexta (21), uma série de reportagens sobre o desempenho de cotistas no Sisu 2014. Entre elas, a série aborda as maiores diferenças entre notas de corte e os cursos mais disputados do país.

Aluno da rede pública passaria sem cota em 11% dos cursos do Sisu – Portal G1

Na última edição do sistema, em 89% dos cursos a política de cotas permitiu a aprovação de estudantes de escola pública sem distinção de raça e renda que concorreram a vagas reservadas e tiveram uma nota de corte menor que a geral. A lei federal prevê quatro tipos de cotas: 1) para alunos de escola pública; 2) para alunos de escola pública que tenham renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo; 3) para alunos de escola pública que se declarem negros, pardos ou indígenas; e 4) para alunos de escola pública que tenham renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo e também se declarem negros, pardos ou índios.

Como o ensino socioemocional pode mudar a escola – Portal PORVIR

Garantir que os alunos se mantenham engajados e motivados durante todo o período escolar é um desafio que vem atravessando décadas no setor educacional. Para um grupo de educadores, a resposta está em criar um ambiente seguro onde eles aprendem não só o conteúdo regular, mas também a como se comportar diante de diferentes situações da vida, transformando-os em indivíduos mais confiantes e independentes.

Projeto tira filosofia e sociologia do currículo – Tribuna do Norte

O deputado federal Izalci Lucas Ferreira (PSDB/SP) está apresentando proposta na Câmara Federal para eliminar a obrigatoriedade da filosofia e da sociologia como disciplinas do currículo do ensino médio. Obrigatoriedade aprovada pela Lei nº 11.684 de 2008. O deputado propõe alterar os artigos 9, 35 e 36 da lei 9.394, que trata da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e retornar ao status anterior à lei, mas, o parecer da relatoria na Comissão de Educação foi pela rejeição do projeto dele.

Auditoria indica carência de 32 mil professores especializados no ensino médio – Portal EBC

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União, feita em parceria com tribunais de Contas dos estados, indica que carência de 32 mil professores com formação específica nas 12 disciplinas obrigatórias do nível médio. Para o relator da auditoria, ministro Valmir Campelo, o problema poderia ser solucionado com uma boa gestão. Física, química e sociologia são as áreas mais carentes de professores.

Ouça o programa “Pensar a Educação, Pensar o Brasil” da última segunda-feira, dia 17 de março de 2014

Tema: “O Golpe Militar e a Educação: Chile e Brasil”

Entrevistado: Felipe Zurita

– RESENHA DA SEMANA –

Livro: Ações afirmativas no ensino superior brasileiro

Resenhista: Alice Cristhófaro

– PESQUISA EDUCACIONAL EM PAUTA –

Docência inovadora na universidade: percursos e princípios organizadores – Gionara Tauchen, Daniele Simões Borges

O presente artigo discute as experiências, as possibilidades e os princípios de inovação no ensino universitário. Para tanto, investiga-se a compreensão a respeito das inovações e das práticas de ensino de seis professores atuantes nos cursos de licenciatura da área de Ciências da Natureza (Ciências Biológicas e Física) e de Pedagogia de uma universidade do sul do estado do Rio Grande do Sul, por meio da metodologia de investigação narrativa. Tal estratégia foi escolhida porque objetiva, em suas bases, o entendimento da ação docente. A partir das análises, o estudo aponta que a possibilidade de um ensino inovador inicia pelas inovações no ensino. As narrativas revelam um esforço para a mudança do ensino universitário, manifestando emergências que subsidiaram a criação de quatro princípios de um ensino inovador: a interação e religação, o planejamento, a ação estratégica e a auto-hetero-avaliação.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022

www.pensaraeducacao.com.br

www.facebook.com/pensaraeducacaopensarobrasil

twitter.com/pensareducacao

EQUIPE:

Coordenação: Luciano Mendes

Conteúdo e Produção: Isabella Brandão

Site: Sandra Ribas

Divulgação: Hercules Santos e Marcella Franca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *