O Sertão do São Francisco inaugura núcleo de extensão e pesquisa interdisciplinar e dá um salto nos projetos locais em educação

Iran Ferreira de Melo

Virgínia Pereira da Silva de Ávila

Vlader Nobre Leite

Descobrir as identidades do Sertão de São Francisco é a busca do Núcleo de Extensão e Pesquisa em História da Educação, Linguística e Literatura (NEPHEL) da Universidade de Pernambuco, em Petrolina (PE). Coordenado pelos professores Iran Ferreira de Melo, Virgínia Pereira da Silva de Ávila e Vlader Nobre Leite, seu objetivo é produzir investigações e intervenções interdisciplinares sobre a construção de identidades coletivas nessa região. O macroprojeto “Olhares sobre as identidades do Sertão do São Francisco” vai verificar como vem se construindo a relação de (auto)conhecimento e (auto)percepção das comunidades locais sobre o papel da educação e da escola na vida da população; de que forma está se constituindo a representação, na imprensa da região, de grupos historicamente marginalizados por sua condição sexual e de gênero, proposta que auxilia no entendimento das tensões entre a tradição hegemônica e os discursos libertários hodiernos; e como vem se dando a emergência de uma literatura considerada visceral e não-canônica na sociedade em análise, fornecendo possibilidade de alargamento de leituras sobre os estudos já desenvolvidos acerca da literatura do sertão nordestino e o impacto do seu imaginário na identidade cultural do país.

Para o segundo semestre de 2014, o NEPHEL está com vários projetos, entre eles, o “Outras Palavras – ciclo de formação em estudos críticos da linguagem”, que será desenvolvido em oito encontros aos longo dos meses de agosto, setembro, outubro e novembro. A metodologia desse projeto segue a proposta de oficinas e minicursos presenciais sobre conteúdos contemplados nos componentes curriculares ancorados (Prática de Língua Portuguesa I, Linguística Textual e Análise do Discurso), oferecendo epistemologias críticas para atualizá-los. O grupo contará com a participação de professores/as de outros campi da UPE e de outras instituições de ensino, especialistas, mestres e doutores nos temas abordados.

Nos dias 6 e 7 de outubro, acontecerá o seminário “História da Educação e Formação de Professores: desafios e perspectivas atuais”, com as professoras Dra. Rosa Fátima de Souza (UNESP) e Vera Lucia Gaspar da Silva (UDESC), extensivo aos sete cursos de licenciatura do campus Petrolina, a saber: Ciências Biológicas Geografia, História, Letras/Português, Letras/Inglês, Matemática e Pedagogia. Com atividades planejadas até 2016, o NEPHEL se constitui como um  importante espaço de formação e interlocução com as diferentes áreas do conhecimento, proporcionando, assim, reflexões de cunho interdisciplinar sobre o pensar e o fazer docente.

Com o primeiro eixo do trabalho “Olhares sobre as identidades do Sertão do São Francisco”, sob a coordenação de Virgínia, o Nephel pretende compreender as mudanças e exigências que se impõem à escola no século XXI, analisando os condicionantes históricos, políticos e sociais de sua produção ao longo do tempo.

Assim, esse eixo objetiva produzir conhecimento sobre a história da escola primária no sertão pernambucano, a cultura nela instituída e, sobretudo, a memória de ex-professores e ex-alunos, a partir da percepção de como constroem suas identidades coletivas de educadores e aprendizes. Por ser este um campo de investigação ainda pouco explorado, Ávila pretende contribuir com os estudos da área de História da Educação no município de Petrolina e região, integrando-o às pesquisas sobre cultura escolar, principalmente no que diz respeito à conformação dos modos de ver, pensar e sentir, evidenciadas nas marcas de tempo reconstruídas pela memória e pelos documentos.

O segundo eixo está com o professor Iran Melo, que desenvolve uma análise de como homossexuais – lésbicas e gays –, bissexuais e pessoas transgêneras – travestis, transexuais e intersexuais – (LGBT), indivíduos historicamente excluídos de seus direitos sociais, são representados/as nos quatro jornais de maior circulação de Pernambuco: Aqui PE, Diário de Pernambuco, Folha de Pernambuco e Jornal do Commercio. A partir da análise desses dados, o professor Melo propõe investigar o discurso produzido por meio das notícias, descrevendo e interpretando os recursos lexicogramaticais potencialmente capazes de produzir representações dos atores envolvidos, sobretudo a população LGBT, a fim de compreender a construção de sentidos gerada a partir dessas representações. 

Quanto ao terceiro eixo, Vlader Nobre coordena um trabalho de investigação das questões identitárias na literatura contemporânea nacional e regional, caracterizando o ambiente fértil em que a construção da identidade se manifesta, desde a identidade nacional às concepções de uma literatura produzida no Nordeste. Como pressuposto metodológico-conceitual, Vlader reflete sob a luz da teoria literária para elucidar problemas acerca de elementos da tradição e da ruptura, ou seja, dos movimentos de manutenção (preservação) e o de transformação (alteração), elementos estes fundamentais para o processo literário.

Além dos trabalhos individuais os três professores atuam em conjunto em dois projetos integradores: um destinado à formação dos professores e alunos do campus de Petrolina e outro voltado para as comunidades quilombolas e indígenas em parceria com a Gerência Regional de Educação Sertão do Médio São Francisco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *