Florianópolis

Eu (na) e a cidade de Florianópolis

Maryluze Souza Santos Siqueira

Sou Maryluze Souza Santos Siqueira, residente da cidade de Umbaúba, interior do estado de Sergipe. Sou professora da rede pública estadual e municipal e tutora do curso de Pedagogia da Unit/Ead Pólo Umbaúba-SE. Estou cursando Doutorado em Educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Tiradentes, tenho como orientadora a professora Dra. Raylane Andreza Dias N. Barreto e faço parte do Projeto Moderno Modernidade, Modernização: a educação nos projetos de Brasis séc. XIX e XX, sob coordenação da professora Dra. Raylane Andreza Dias N. Barreto, que tem como instituição executora a Universidade Tiradentes, com sede em Aracaju-SE. Por meio deste projeto participei do Promob na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), situada na cidade de Flórianópolis. Minha missão de estudo ocorreu no período de 01 de agosto a 01 de setembro de 2017 e tive como orientadora a professora Dra. Maria das Dores Daros, da UFSC.

A experiência de participar do Promob na Universidade Federal de Santa Catarina foi muito positiva em diversos aspectos tanto como experiência acadêmica quanto como experiência de vida. Foi um mês de muito aprendizado, que envolveu uma diversidade de situações como a adaptação a uma nova moradia que foi tranquila graças à colaboração da doutoranda em educação da UFSC Gabriela Albanás Couto, pessoa responsável pelas minhas acomodações e primeiras aproximações com o lugar que iria ficar durante o intercâmbio… me senti em casa mesmo estando no Campeche que fica no sul da ilha de Florianópolis-SC. É importante frisar que quando fazemos intercâmbio é fundamental que haja uma aproximação com as pessoas do lugar de destino, nesse sentido, mesmo à distância foi possível organizar diversos aspectos da minha futura estada. Em tempos digitais, os recursos tecnológicos ajudaram bastante, pois recebi fotografias do que seria minha futura “residência” o que contribuiu para quebrar a sensação de estranhamento daquele novo ambiente que passaria a “morar” por um mês. Em relação à familiarização com a cidade ocorreu por meio da utilização de diferentes meios de transportes (carro locado, uber, táxi e o transporte coletivo), o que ficou bastante fácil, porque em pouco tempo já senti uma certa autonomia para me deslocar por diversos lugares da cidade, inclusive para a UFSC.

A alimentação não foi problema, pois o cardápio dos restaurantes eram bastante variados, tendo o peixe como alimento sempre presente e uma grande variedade de saladas, com destaque para os produtos orgânicos que estão sempre identificados. Um elemento que me chamou atenção foi a valorização de produtos orgânicos e a grande quantidade de casas de alimentos naturais encontradas em diversas partes da cidade, o que demonstra uma preocupação com um estilo de vida saudável. Encontrei também uma grande variedade de vinhos e também as cervejas feitas artesanalmente na região. Adorei saborear os diferentes tipos de cafés e de chocolates quentes, ajudou bastante a suportar aquele friozinho que teimava em ficar.

Percebi que a questão da “vida saudável” ia além do gosto pelos alimentos naturais. É muito comum a presença de praças em diversos locais da cidade e nelas sempre era possível encontrar um parquinho para as crianças (minha filha aproveitou bem) assim como, academias públicas. Eram muitas e mesmo fazendo frio tinha sempre alguém utilizando aqueles espaços de uso comum. É importante falar também a respeito da conservação daqueles ambientes, não vi guardas municipais ou vigilantes “tomando conta”, tinha apenas uma placa dizendo para manter o ambiente limpo e onde tinha um portão a placa informava que era para deixá-lo fechado após entrar no recinto.

Verifiquei que a cidade também é bastante limpa, e não vi pessoal de limpeza fazendo o serviço continuamente, notei que as pessoas não jogam lixo no chão e os recipientes de coleta de lixo estão sempre à vista. Há também a prática de coleta seletiva do lixo.

Outro fato que me chamou bastante atenção foi o trânsito. Além das ruas apresentarem muitos semáforos, tanto de motoristas quanto de pedestres, existem muitas faixas de pedestres e passarelas o que facilita a locomoção e travessia com maior segurança. Parece que faz parte da cultura do lugar o motorista respeitar o pedestre, pois basta aproximar-se da faixa de pedestre e os carros ou ônibus param imediatamente para que o pedestre possa atravessar a rua.

Quanto aos espaços culturais, turísticos e de lazer, na cidade de Florianópolis vários merecem destaque a começar pelas muitas e belas praias. Na praia do Saquinho, ao sul da ilha, pude fazer a Trilha do Saquinho, foi uma experiência muito interessante, pois fui com um grupo de universitários da UFSC e pude conhecê-los, conversar e trocar experiências culturais e acadêmicas. Subimos um morro no meio da vegetação nativa e o tempo todo tínhamos a visão do mar e de diversas ilhotas que fazem parte do litoral de Florianópolis.

Outro ponto turístico bastante movimentado é a Lagoa da Conceição que fica na região central da ilha. De acordo com o Guiafloripa (2016) a primeira freguesia da cidade foi fundada junto a um dos pontos que ainda hoje é um dos mais tradicionais: a Lagoa da Conceição. Algumas construções da época colonial ainda permanecem preservadas.

Fiz também uma visita ao Museu Histórico de Santa Catarina no Palácio Cruz e Souza situado à Praça XV de Novembro, centro de Florianópolis, onde pude ver um pouco da história do lugar. Fiquei impressionada com a arquitetura do prédio e também com a conservação, já que se trata de uma construção bem antiga. No museu estão expostos algumas peças de destaque como móveis ao estilo de D. João V, a cópia do quadro da Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, um violino, um piano, uma caixa de música alemã estilo art nouveau e a primeira lâmpada elétrica residencial de Santa Catarina.

Outro lugar interessante é a Praça XV de Novembro. Em passeio por lá pude encontrar uma árvore centenária e o busto de pessoas ilustres do estado. A praça é bastante movimentada, pois fica nas proximidades do calçadão do centro histórico da cidade, que é repleto de lojas, bares e a antiga alfândega que atualmente é um centro de artesanato. No centro histórico também fica o Mercado Municipal onde pude encontrar um grande espaço gastronômico e um centro de vendas de souvenirs que fazem referências aos pontos turísticos do lugar, como camisas, canecos, chaveiros, bordados dentre outros. Segundo o Guiafloripa (2016), na planície próxima ao mar, ao pé de uma colina, o bandeirante Francisco Dias Velho fundou, em 1662, a Vila Nossa Senhora do Desterro. E é neste local que está atualmente a Praça XV de Novembro. Foi a partir dali que a cidade começou a expandir-se, com suas pequenas ruelas margeando a praia.

Na Praça XV está também o Monumento em Honra aos Heróis Mortos na Guerra do Paraguai e os bustos que homenageiam catarinenses famosos: Cruz e Sousa, poeta, Víctor Meirelles, pintor, José Boiteux, historiador, e Jerônimo Coelho, fundador da imprensa no Estado. Anexa à Praça XV de Novembro encontra-se a Praça Fernando Machado.

Nas proximidades da Praça XV de novembro também está localizada a Catedral, uma enorme construção com destaque para as escadarias que dá acesso à igreja. Segundo o Guiafloripa (2016), a história da Catedral Metropolitana começa no ano de 1675, quando o bandeirante Francisco Dias Velho, fundador de Nossa Senhora do Desterro, começa a construir uma capela em homenagem à padroeira.

Outro monumento que faz parte da cultura de Florianópolis é a Ponte Hercílio Luz, que encontra-se interditada em reforma há muitos anos, mas mesmo assim ainda é um cartão postal de Florianópolis e encontra-se visível de vários pontos da cidade. Fiquei encantada com a visão que a ponte proporciona, pois mesmo sem as famosas luzes ainda conserva um charme e dá grande visibilidade ao lugar. Segundo o Guiafloripa (2016) o principal cartão postal de Florianópolis, a Ponte Hercílio Luz foi construída entre os anos 1922 e 1926. Projetada por engenheiros dos Estados Unidos e construída com materiais importados de lá, a Ponte Hercílio Luz está localizada no ponto mais próximo entre a ilha e o continente. Foi fechada em 1982 por medida de segurança. Desde então, serve apenas como símbolo da cidade, tendo relevante significado para a população. Está interditada desde 1991 e atualmente passa por uma restauração.

Conhecer a cidade de Florianópolis foi uma experiência que contribuiu para aumentar meus conhecimentos culturais e para ter certeza que participar do PROMOB é muito mais que estudar, significou ampliar os conhecimentos para a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *