UFSC

Eu (na) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Maryluze Souza Santos Siqueira

A realização das atividades do PROMOB aconteceu principalmente na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Esta Universidade está sediada em Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina e foi fundada em 18 de dezembro de 1960, com o objetivo de promover o ensino, a pesquisa e a extensão. A UFSC tem mais de 30 mil estudantes matriculados em 103 cursos de graduação presenciais e 14 cursos de educação a distância. Quanto à pós-graduação, a UFSC disponibiliza mais de 7 mil vagas para cursos stricto sensu: são 63 mestrados acadêmicos, 15 mestrados profissionais e, 55 cursos de doutorado. Nos 32 cursos de especialização, são mais de 6 mil alunos a distância e 500 em cursos lato sensu presenciais. A UFSC possui cerca de 600 grupos de pesquisa certificados no Diretório de Grupos de Pesquisa (DGP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), reunindo professores, técnicos e estudantes.Além da expansão no próprio país, a UFSC tem se internacionalizado por meio da cooperação com instituições de ensino de todo o mundo. Há, atualmente, cerca de 300 convênios com mais de 40 países em todos os continentes.

Essa experiência foi interessante porque pude vivenciar outro contexto acadêmico, encontrar pessoas com vivências diferentes e discutir temas diversos na área da educação e da formação docente, especialmente para o meio rural brasileiro.

Fui recebida na UFSC pela professora Dra. Maria das Dores Daros que foi minha orientadora durante a realização da missão de estudos proposta para o PROMOB. Outra pessoa que foi fundamental no planejamento e execução da referida missão foi a doutoranda Elaine Aparecida Teixeira Pereira. No meu intercâmbio estudantil foi imprescindível o apoio institucional feito pelos membros da instituição que me acolheu, pois a troca de experiências, os direcionamentos e orientações de estudo foram importantes para que eu tivesse um bom aproveitamento acadêmico e cultural por meio dessa experiência.

Um ponto de destaque foi a realização de encontros e reuniões promovidos pelo Grupo de Pesquisa Ensino e Formação de Educadores em Santa Catarina, da UFSC, coordenado pelas professoras Dra. Maria das Dores Daros e Dra. Ione Ribeiro Valle. Durante as reuniões realizadas pude apresentar meu Projeto de Doutorado e discutir com os membros do grupo as diversas possibilidades de compreensão do meu objeto, assim como referencial teórico-metodológico que correspondesse aos objetivos da minha pesquisa.

Outro ponto interessante foi a apresentação dos projetos de pesquisa e de outras produções dos membros do grupo de pesquisa, o que enriqueceu meus conhecimentos a respeito das diferentes abordagens que eles fazem sobre o período histórico que está ancorado meu objeto de pesquisa, ou seja, o período de modernização do Brasil que se inicia por volta da década de 1930 e vai até a década de 1960. Foi interessante também tomar conhecimentos dos intelectuais e estudiosos dessa época que discutiam a modernização, como os três primeiros dirigentes do INEP Lourenço Filho, Murilo Braga de Carvalho e Anísio Teixeira e também João Roberto Moreira, Florestan Fernandes dentre outros e dos pesquisadores mais recentes que estudam a modernização e desenvolvimento do Brasil como Carlos Eduardo Vieira e como tem sido visto o papel da educação e da formação do professor nesse processo. Acredito que pude ter um novo olhar para esse período, especialmente tomando como referência a noção de transnacionalização que perpassa os estudos discutidos sobre a referida temática.

A partir das discussões em grupo pude ter acesso a um grande número de textos, livros, artigos, em fim a uma gama de referências que em muito contribuiu e contribuirá para o meu aprofundamento teórico-metodológico acerca da minha pesquisa.

Outro ponto marcante foi minha circulação pela UFSC, onde pude conhecer diversos aspectos do lugar, a começar pelas grandes áreas livres entre os prédios administrativos e as salas de aula. Havia sempre muitos estudantes em deslocamento nesses espaços e outros se encontravam debaixo de árvores comendo, conversando ou até lendo um livro. Havia também muitos grupos com faixas, cartazes e vestidos com camisas em protesto ou em defesa de alguma questão política ou ambiental como a proteção da Amazônia, o já conhecido “Fora Temer” e também contra a homofobia. Foi impressionante também ver as filas enormes de alunos que iriam almoçar no restaurante universitário da UFSC. Era comum também a presença de livreiros e outros ambulantes que vendiam desde roupas até objetos artesanais naquelas proximidades. Alguns dias também foi possível se deparar com uma feira gastronômica, onde encontrei diversos tipos de alimentos típicos e alimentos orgânicos e integrais como pães, bolos, doces e caldos.

A visita à Biblioteca Central da UFSC também foi uma experiência interessante. Pude observar a organização e identificação do acervo e os diversos tipos de material bibliográfico, assim como salas de leitura e espaço livre com pufs para sentar e ler um livro ali mesmo no chão.

Para encerrar a minha missão de estudos do PROMOB na UFSC foi feita uma reunião no dia 31 de agosto de 2017 às 8:30h na UFSC para avaliação das atividades realizadas durante o período do meu intercâmbio na UFSC. A professora Dra. Maria das Dores Daros enfatizou a importância da circulação de estudantes e professores universitários para outras universidades, pois possibilita que tenhamos uma vivência com outras culturas acadêmicas, com outros grupos de pesquisa, com novas produções e com novas abordagens teórico-metodológicas de pesquisa em educação e como o Projeto Moderno Modernidade Modernização: a educação nos projetos de Brasis séc. XIX e XX tem contribuído para essa circulação de pessoas e de ideias. Agradeceu a participação de todos e afirmou que espera ter contribuído para meus estudos e também para que eu tivesse contato com referenciais que poderão também ser lidos e aprofundados com mais tempo futuramente.

Os demais participantes da reunião e membros do Grupo de Pesquisa Ensino e Formação de Educadores em Santa Catarina também falaram da importância da interlocução entre os pesquisadores que estudam objetos semelhantes no sentido de trocarem informações e aprimorarem os conhecimentos a cerca das temáticas em discussão no espaço acadêmico.

Agradeci a colaboração de todos que estiveram envolvidos na minha missão de estudos e enfatizei o quanto essa experiência foi fundamental no aprimoramento dos meus conhecimentos e nas perspectivas de estudos que foram abertas nas reuniões e estudos realizados durante a minha participação no PROMOB na UFSC. Esta foi uma experiência que vou levar pra toda vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *