Menu
Criança Na Janela – Duangphorn Wiriya Unsplash

O caminho de volta à escola

Alexandra Lima da Silva

Quando eu tinha 10 anos, e cursava a antiga quarta-série do ensino fundamental, fiquei fora da escola por alguns meses, por motivo de doença. No lugar de ter aulas, eu tinha consultas médicas. Muitas. Até uma cirurgia foi cogitada. Nesses longos e intermináveis meses, eu aprendi a sentir muita falta da escola.

Eu desejava acordar cedo, tomar banho, vestir o uniforme e ter aulas de português, matemática, ciências…

Mas eu não podia, porque eu estava doente. Não podia ir à escola. Eu vivi meses em isolamento, vendo as crianças brincarem desde uma janela.

De casa para hospital, de hospital, para a casa.

E como doía a saudade da escola.

Eu sentia falta do recreio.  Das brincadeiras. Do pique pega. Da correria e da algazarra na hora de “formar”. Da merenda. Do horário de entrada. Do horário de saída. Do sinal. Sentia saudade das coleguinhas. Sentia falta da professora me chamando a atenção porque eu conversava muito durante a aula.

A escola era meu porto seguro e minha vida de criança tornou-se um eterno dia nublado. Aquele ano de 1991 foi longo e doloroso.

A vida recomeçou para mim quando eu fiquei boa da doença e pude finalmente retornar à escola. Mas ela já não era mais a mesma. Tudo tinha mudado. Meu mundo se transformou. Eu me sentia deslocada e confusa. Algumas colegas já não mais me incluíam nas brincadeiras. E para piorar, apesar de todos os meus esforços para tentar acompanhar a turma, aquele ano estava perdido. Tive que repetir a quarta-série. Naquele exato momento, eu entendi que crescer doía, mas que o tempo curava tudo. E o caminho da escola me curou. Me trouxe esperança. Aos poucos, meu mundo voltou a ser colorido.

Num mundo de crianças confinadas, dedico este texto para todas aquelas que hoje não podem ir à escola.

Crianças, resistam.

Vai passar!


Imagem de destaque: Duangphorn Wiriya / Unsplash

 

This Post Has 3 Comments
  1. Oi, Alexandra
    A partir desse relato, podemos perceber que as vezes é preciso perder para valorizarmos experiências que para alguns talvez não tenha tanta importância. Certamente, muitas crianças estão sentindo-se exatamente assim… Com muitas saudades da rotina escolar ou de coisas do cotidiano infantil como as brincadeiras em grupo ou com seus pares. Quem sabe, as nossas crianças também estejam com saudades do tempo que podiam ir à praça mais próxima na companhia de seus pais, sozinhas ou com amigos e assim fazerem novas amizades… Espero que tudo isso realmente passe logo, mas que, de certa forma, sejamos contaminados por essa grande onda se solidariedade, além disso, que estejamos mais fortes, assim possamos nos readaptar ao novo normal ainda que está por vir…

  2. Que palavras incentivadora para alunos do ensino fundamental. Criança também sofre e tem que superar dificuldades. Conheço muitas crianças que precisam ser cuidadas e esse texto veio como um “curativo”. Obrigada 😃

  3. Que palavras incentivadoras para alunos do ensino fundamental. Criança também sofre e tem que superar dificuldades. Conheço muitas crianças que precisam ser cuidadas e esse texto veio como um “curativo”. Obrigada 😃

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *