CF 2019

O bairro como laboratório pedagógico: percepção das políticas públicas enquanto agentes de presença/ausência do Estado

Vagner Luciano de Andrade

As aberrações governamentais destacadas declaram boicote à Filosofia e à Sociologia. Militantes alienantes e alienados defendem uma escola sem partido, como se fosse possível educar e formar cidadãos, sem responsabilidades para com a coletividade. Educar, sem política, é preparar seres para serem marionetes do sistema perverso e escravista. O foco está em criar servos submissos à elite minoritária que governa. Mas o que são políticas públicas? Historicamente, apresentam-se como conquistas e lutas sociais ao longo da formação do Brasil e decorrentes de diferentes mecanismos de participação popular. Atualmente, muitas das políticas públicas existentes encontram-se ameaçadas. O povo precisa conscientizar-se disso e lutar.

As políticas públicas são elo entre o poder público e a sociedade civil. Um exemplo de sua seriedade é a campanha 2019 da CNBB, cujo tema central foi “Fraternidade e políticas públicas”.Essa discussão temática, acontece para além dos ambientes formais e institucionalizados constituídos pelo Poder Executivo e câmaras legislativas.De modo geral, tem como componente fundamental positivo, a manifestaçãoe organização da coletividade e a probabilidade de afirmação de colóquios, ponderações e construções de projetosdiferenciados daqueles que despontariam exclusivamente em reuniões de gabinetes do Estado.

Sobre a Campanha de Fraternidade, um dos temas destacados é a participação, provocando a necessidade de atuação mais efetiva da população de maneira que as políticas públicas se tornem uma realidade articulada em conjunto (poder público, voluntariado e organização civil). São, portanto, projetos que representem verdadeiramente a voz e os anseios do povo.

Neste contexto, a educação deve formar cidadãos para os percursos e desafios que a questão impõe à contemporaneidade: observar com um olhar crítico,o que existe de bom e adequado e o que precisa ser melhorado, refletindo sobre as causas e os efeitos de problemas. Ao se empreender com alunos, ações de percepção das políticas públicas enquanto presença/ausência do Estado, a educação faz do bairro um laboratório pedagógico, nos quais destacam-se quatro eixos básicos: 1. Pedagogia da Caracterização – informações sobre o local; 2. Pedagogia do Diagnóstico: descrição do problema identificado; 3. Pedagogia da Evidenciação – fotos,reportagens, vídeos que o ilustrem; 4. Pedagogia da Proposição – proposta de intervenção para encaminhamentos legais. Como exemplo de solução, melhoria ou minimização do problema, elencamos um bairro de Contagem

Localização do Parque das Mangueiras, em Contagem (Fonte: Prefeitura de Contagem)

A história das inúmeras Localidades inseridas no Município de Contagem reflete a transformação das paisagens rurais em territórios urbanos, promovidos, em sua maioria pela industrialização no período 1940-1960. É, portanto, emergencial, que se inicie uma pesquisa pedagógica sobre a História da localidade denominada Bairro Parque das Mangueiras, inserida na área do Parque Industrial. O lugar inserido entre os Bairros Amazonas, Bandeirantes, Lindéia e Santa Maria ficou conhecido devido à realização da Feira de automóveis aos sábados, domingos e feriados, evento, por sua vez, extintona atualidade. Pedagogicamente são perceptíveis vários problemas e riscos socioambientaisque desenham propostas futuras de eco urbanização no bairro e adjacências. A ideia é didatizar os problemas existentes mobilizando moradores locais, líderes comunitários e alunos para que eles percebam:

  1. A carência de áreas de lazer na região;
  2. A ampliação do um conjunto habitacional;
  3. A degradação das áreas verdes existentes;
  4. A devastação das nascentes do Córrego Garcia;
  5. As ocupações de terrenos em área de risco geológico para construção de casas;
  6. O uso de local como bota fora, com depósitos frequentes de lixo e entulho;

A proposição de intervenção para esta área fundamenta-se na implantação do NEEC – Núcleo de Ecologia, Educação e Cidadania e um Centro de Referência em Educação Ambiental para ações de educação ecológica em ênfase em Políticas Públicas:

  1. Criação e Implantação de parque ecológico para proteger área de brejo, nascente e matinha;
  2. Programa de arborização urbana, com plantio de árvores, e colocação de grades protetoras;
  3. Desenvolvimentode Projeto de Preservação das Nascentes;

As atividades educativas iniciam-se a partir de diagnóstico social e ambiental efetuado nas escolas do entorno, com formação de líderes ecológicos nas turmas escolares. Os alunos serão motivados a realizarem trabalhos de educação ambiental nos quais apresentem a realidade e osproblemas que demandem intervenções do Poder Público.Em seguida, a identificação de problemas e potencialidades com os moradores e líderes comunitários, fixam ações diversas a serem gestadas como abaixo-assinados, documentários, exposições, mutirões, campanhas, passeatas. Após este processo solicita-se à municipalidade, vistorias e períciasexecutadas por técnicos ambientais. Comelementos desta ordem, a escola se consolida como espaço da fraternidade e como um agente de transformação da realidade local. É a escola com partido, que forma atores politizados e engajados gerando transformações.


PARA IR ALÉM

Políticas públicas em sala de aula – MultiRio

O que é uma política pública e como ela afeta sua vida? – Todos Pela Educação

É preciso colocar a educação no centro das políticas públicas – Brasil de Fato

Imagem de destaque: Campanha da Fraternidade 2019/ CNBB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *