Menu
Sala De Reuniões Vazia – Drew Beamer Unsplash

Estimados professores e professoras! Queridos colaboradores

Aleluia Heringer

“É melhor ser um coxo no caminho, que um bom corredor fora dele”
(Santo Agostinho)

Hoje tivemos reunião do Conselho Pedagógico. Enquanto ouvia, anotei as várias vezes em que as expressões “exausto”, “caos”, “nunca trabalhei tanto em minha vida”, “trabalhando muito mais”, apareceram nas falas dos supervisores. Imagino que poderia e, muito provavelmente, as mesmas expressões estarem partindo da boca de vocês. Isso é uma constatação e não há nenhum problema nisso. De uma maneira em geral, a sociedade no atual contexto está dividida entre aqueles que estão assoberbados de tarefas e aqueles que estão com tédio sem ter o que fazer.

Lembrei-me então do Mundo VUCA, expressão utilizada na época do pós-guerra fria para designar a complexidade e incertezas da geopolítica mundial. VUCA são as iniciais em inglês para: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade. De fato, aquele nosso mundo “normal” não existe mais, pelo menos por ora. Mesmo quando retornarmos, não seremos os mesmos, nem a escola, nem os alunos, nem a economia, nem a desigualdade social, nem nossa visão de coletivo e tantas outras categorias que estão sendo revistas.

Peço desculpas por não ter dedicado um slide, na nossa reunião de final de ano (2019), para alertar vocês de que teríamos o “novo” Coronavírus. Poderíamos ter adequado calendário, planejamento e programado treinamento a todos sobre o uso da plataforma ConeCSA, ou até mesmo ter investido em outras possibilidades. Não é assim que a vida acontece. Nesse sentido, mais uma vez, as pessoas estão divididas entre aquelas que, percebendo a gravidade da situação, arregaçaram as mangas e, mesmo sem saber como, se colocaram no caminho. Tenho muito orgulho de muitas iniciativas vindas da parte de vocês.

Do lado de cá a pressão pesa nos ombros e, como vocês, “nunca trabalhei tanto”! O que nos faz acordar a cada manhã e continuar, literalmente, batalhando? Em primeiro lugar o compromisso e senso de responsabilidade com a escola, com os estudantes, com vocês que trabalham aqui, com as famílias e por todos que impactamos direta e indiretamente com o nosso trabalho. Em segundo lugar é que, em nome de todas essas vidas, na preservação do nosso trabalho e da continuidade da escola, não podemos nos acovardar e nem nos apequenar. Lembraremos desse tempo como aquele que fortaleceu em nós o senso de comunidade, de coletividade, de fraternidade e de bem-comum. Precisamos de todo mundo! E agora não é poesia e nem letra de música, mas um chamado.

“Desesperar jamais
Aprendemos muito nesses anos
Afinal de contas não tem cabimento
Entregar o jogo no primeiro tempo”

Ivan Lins


Imagem de destaque: Drew Beamer / Unsplash

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *