Entrememórias – Daniela Passos – Escrevendo Sobre Memórias A Escola E Suas Vivências

Escrevendo sobre memórias: a escola e suas vivências

Daniela Oliveira Ramos dos Passos*

O conceito de memória é crucial e também plural. Ele pode nos remeter a um conjunto de funções psíquicas. Desse ponto de vista, a memória abarca a psicologia, neurologia, psiquiatria e também às ciências humanas e sociais, especificamente, à História. Considerando essa última ciência, a História, a memória pode funcionar como um norteador da vida presente, que nos ajuda a compreender a realidade já vivida para que possamos entender o contemporâneo, ou seja, a consciência histórica (ou mesmo a memória) quase sempre nos leva ao passado quando procuramos entender o presente e até mesmo o futuro (LE GOFF, 2003).No que se refere ao espaço escolar, esse também é carregado de memórias. Além de ser umlócus de vivências múltiplas, de aprendizados diversos. A escola é dinâmica, viva. E ao mesmo tempo é uma instituição presa a regras passadas, a atitudes reprodutoras de um sistema desigual, e por vezes, espaço de exclusão.

A escola delimita espaços. Servindo-se de símbolos e códigos, ela afirma o que cada um pode (ou não pode) fazer, ela separa e institui. Informa o “lugar” dos pequenos e dos grandes, dos meninos e das meninas. Através dos seus quadros, crucifixos, santas ou esculturas, aponta aqueles/as que deverão ser modelos e permite, também, que os sujeitos se reconheçam (ou não) nesses modelos. (…) Tal “naturalidade” [dos espaços] tão fortemente construída talvez nos impeça de notar que, no interior das atuais escolas, onde convivem meninos e meninas, rapazes e moças, eles e elas se movimentem, circulem e se agrupem de formas distintas (LOURO, 2008).¹

Por isto, ser educador/a requer entender que o processo de ensino-aprendizagem se faz em um sentido de “mão dupla” onde também temos muito a aprender com nossos alunos e alunas. Ser professor/a exige uma capacidade constante de questionar o mundo e os nossos posicionamentos no processo educativo. Cabe ressaltar que são vários os discursos que atuam na formação dos sujeitos, e em muitos casos, os saberes estão além dos muros da escola e das paredes da sala de aula.A escola é uma instituição que tem por finalidade educar para a cidadania. É o lugar das diversidades e por mais paradoxal que possa parecer, infelizmente, também é um espaço de muito preconceito.

Partindo desses pressupostos, sobre a dinâmica do espaço escolar, realizamos uma “roda de conversa” com a turma do Núcleo Formativo I – 1º Período de Pedagogia (NF 1C) da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (FaE/UEMG) sobre o que os lugares que a vida escolar representou na vivência das/os alunas/as durante a educação básica. O resultado pode ser visto nos textos e desenhos, que nos apresentam não apenas uma escola idílica, mas também com problemas múltiplos. O convite a essa “viagem” ao passado, proposto pela coluna Entrememórias, trará nas próximas semanas essas vivências em suas múltiplas formas de expressão. Os desenhos, textos e poesias, nos fazem refletir sobre as diversas histórias que envolvem o espaço escolar, entre elas as alegres e também as lembranças de tristezas, frustações e dos imensos desafios. O material que apresentamos nos mostra claramente o quanto a escola precisa ser repensada, atualizada. Pensar orientações pedagógicas múltiplas, dinâmicas e a real formação humana. Assim, convidamos os/as leitores/as a percorrer essas lembranças, memórias e quem sabe juntos/as repensamos as dinâmicas escolares. “Bora” pensar a escola?


¹LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. In: Pro-Posições, v.19, n.2(56) – maio/ago. 2008. p.17-23. Ver: LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas, SP: Unicamp, 5. ed. 2003. Cap. Memória. p. 419-476.

*Professora na Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais – FaE-UEMG, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Formação Humana (PPGE); Doutora em Sociologia – UFMG; Mestre em História – UFOP. E-mail: ddanipassos@gmail.com.

Imagem de destaque: Gaelle Marcel / Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *