Menu

Ano 4 – Nº 127 / sexta-feira, 24 de junho de 2016

EDITORIAL

A força do passado!

O que têm a dizer os historiadores e as historiadoras da educação sobre o passado que autoriza nosso presente e é continuamente atualizado em nosso cotidiano?

Essa foi uma das perguntas que, dos dias 20 a 23 de junho, mobilizou centenas de pesquisadores(as) brasileiros(as), portugueses(as) e de várias outras nacionalidades, reunidos na Universidade do Porto, em Portugal, para a realização do XI Congresso Luso Brasileiro de História da Educação – XI COLUBHE. Nele, foram apresentadas centenas de pesquisas que, estudando o nosso passado mais remoto ou  períodos muito próximos de nosso presente, indagavam também sobre as grandes questões de nosso tempo. Leia mais.

SEMINÁRIO ANUAL

O Pensar a Educação, Pensar o Brasil realizará no próximo dia 30 a última conferência, do primeiro semestre, do Seminário Anual “A Escola Básica interroga a Universidade”. Na ocasião, as professoras Isabel de Oliveira e Silva (UFMG) e Vera Lúcia Vieira (E. M. Infantil Miriam Brandão e UMEI Céu Azul) irão tratar das “Relações entre universidade e Educação Infantil: questões sobre cuidado e educação de bebês e crianças pequenas no espaço público”. As professoras irão falar sobre suas experiências e análises sobre a educação infantil pública.

A conferência do dia 30 de junho será às 19h no Auditório Neidson Rodrigues, na Faculdade de Educação da UFMG. O debate terá transmissão ao vivo pelaRadio Web FaE e também pelo canal do Projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil no YouTube. Outras informações no www.pensaraeducacao.com.br e pelo telefone: 3409-5355.

NAS ONDAS DA EDUCAÇÃO 

Dia 27 de junho, o Pensar a Educação, Pensar o Brasil receberá a professora Clara Garavello, que irá nos contar sobre sua experiência com a Expressão Cultural entre os estudantes da Educação de Jovens e Adultos.

Segunda também tem a coluna Educação em Pauta, com o professor Luciano Mendes, a Agenda da Educação com os principais eventos da semana, a coluna Pensando Bem, com Beatriz Cerqueira e a sessão especial A Educação para Além do Brasil, com Felipe Zurita.

Todas as segundas-feiras, das 20h00 às 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela Rádio UFMG Educativa 104,5FM.

ENTREVISTA

“O que quer a escola sem partido?” – Professora Magda Nunes

No dia 20 de junho, o Pensar a Educação, Pensar o Brasil discutiu as propostas do “Escola sem Partido” e “Escola Livre”, que estão em desenvolvimento no Brasil. Recebemos a professora de Física do Colégio Militar, Magda Nunes, e também os estudantes Laura Leal e Gabriel Nunes Siqueira. Pudemos conversar sobre os projetos de lei e grupos da Sociedade Civil que buscam cercear o direito de fala e de opinião do professor dentro da sala de aula.

CONVITE À LEITURA  

Subjetividade da escrita, objetividade social: experiência coagulada de um tempo em De mim já nem se lembra, de Luiz Ruffato – Alexandre Fernandez Vaz – EXCLUSIVO

Um jovem operário especializado da região industrial da Grande São Paulo escreve cartas para sua mãe que junto com o restante da família vive em Cataguases, Zona da Mata do estado de Minas Gerais. A correspondência, da qual só conhecemos a parte escrita por ele, e que foi guardada pela mãe com esmero, vai de 1971 a 1976.

EDUCAÇÃO EM DEBATE

Blog do Pensar a Educação

O Blog Pensar a Educação continua acompanhando a discussão sobre as novas regras de financiamento dos Programas de Pós Graduação estabelecidas pela CAPES. O post Ainda sobre as novas regras de Financiamento da CAPES busca informar sobre as responsabilidade pela instituição de tais regras e cobra a observância às especificidades das várias áreas do sistema de pós graduação. O segundo post, Ciências Sem Fronteiras como Política de Estado – desafios para as humanidades, comenta a tramitação, no Senado, do PLS 798/2015 que institui o CSF como política de Estado no Brasil e a necessidade de acompanhamento do projeto e, caso venha a ser aprovado, de sua regulamentação, sobretudo no que se refere à definição das áreas que serão consideradas prioritárias para integrar o Programa.

Essa chatice que é uma escola sem partido – Dalvit Greiner – EXCLUSIVO

Enquanto a discussão em torno do cerceamento da fala dos professores em sala de aula continua, a meninada continua perguntando. O que fazer? Não responder? Aproveito para mostrar aos estudantes o crime de lesa humanidade que querem perpetrar contra eles. Não é contra nós, professores e professoras.

Desafios da inclusão na Educação Básica – Ingrid Ludimila Bastos Lôbo -EXCLUSIVO

Os diferentes movimentos sociais que surgiram na década de 80 apresentaram uma série de demandas sobre a necessidade de transformações políticas, sociais, culturais, econômicas e educacionais. Dentre esses movimentos, destacaram-se as mobilizações em prol dos direitos das pessoas com deficiência.

Reflexões sobre a construção do Plano Estadual de Educação de Minas Gerais – Otavio Henrique Ferreira da Silva – EXCLUSIVO

Nos dias 15, 16 e 17 de junho de 2016 ocorreu a etapa final, chamada de Fórum Técnico, para a construção das diretrizes do Plano Estadual de Educação de Minas Gerais. Anterior a essa etapa, foram realizados 12 encontros regionais para debater e incluir sugestões de propostas para o Plano Estadual de Educação. A etapa final foi a oportunidade de sistematizar as propostas para a educação mineira que haviam sido aprovadas nas etapas regionais.

O que o massacre de Orlando na Florida ensina? – Pedro Castilho – EXCLUSIVO

Na madrugada do dia 12 de junho, 49 pessoas foram assassinadas na boate Pulse, na cidade de Orlando na Flórida. Aquilo que seria mais uma festa LGBTT se transformou em um massacre sanguinário que morreram pessoas que gostavam de comemorar à vida.

Carta de Florianópolis – Encontro Nacional do Forumdir e Encontro Regional da Anfope Sul

Os participantes do 37º. Encontro Nacional do Fórum de Diretores e Diretoras das Faculdades e Centros de Educação das Universidades Públicas (FORUMDIR) e do Encontro Regional da Associação Nacional pela Formação de Profissionais da Educação Sul (ANFOPE), diante do preocupante quadro de ameaças à democracia, ao Estado de direito e à educação pública, em nosso país, vêm a público manifestar sua posição e conclamar para a luta em defesa das conquistas sociais consignadas desde a Constituição de 1988.

Manifesto em Defesa da Democracia, da Educação, da C&TI e das Diversidades

Nós, professoras e professoras,  alunas e alunos, pesquisadoras e pesquisadores reunidas(os) no XI Congresso Luso Brasileiro de História da Educação, realizado na Universidade do Porto, em Portugal, no exercício de nossa responsabilidade profissional e cidadã, vimos nos manifestar sobre a situação política pela qual passa o Brasil neste momento em que foi rompido o Estado de Direito e a normalidade democrática.

Leia mais.

SEÇÃO ESPECIAL: 30 ANOS de EJA na UFMG

30 anos de EJA na UFMG: celebrando a disposição, compromisso e a coragem, sem temer – Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca – EXCLUSIVO

Considerando a criação do Projeto Supletivo do Centro Pedagógico – que hoje é o Projeto de Ensino Fundamental de Jovens e Adultos da UFMG – 2o. segmento (o PROEF II) – como o marco do nascimento do Programa de Educação Básica de Jovens e Adultos da UFMG , estamos comemorando os 30 anos do compromisso de ação pedagógica, de formação docente, e de exercício sistemático de reflexão desta Universidade com a educação escolar de pessoas jovens e adultas.

A história que se fez, a história que se faz: notas de uma trajetória – Juliana Ferreira de Melo – EXCLUSIVO

Se, atualmente, o trabalho com as crianças, com idades entre nove e 11 anos, me renova a cada encontro, com seu entusiasmo pelo novo, pela descoberta, a mesma renovação, eu experimento quando vejo o brilho que têm os olhos de educandos e educandas da EJA, que eu re-conheço, cotidianamente no CP/UFMG, no PROEF-2.

Da história que se fez, a profissional que hoje sou: a formação de professores na Educação de Jovens e Adultos da UFMG – Geovania Lúcia dos Santos -EXCLUSIVO

Entender que o professor é um eterno vir-a-ser que se constitui no movimento dialógico e dialético do ensinar-e-aprender, instaurado no encontro entre sujeitos que se lançam na aventura do conhecimento talvez seja, ao fim e ao cabo, a contribuição mais significativa desta passagem para a conformação, não da profissional que hoje sou, mas da profissional que tento ser.

EJA UFMG: a história me fez, a história que nos faz – Patrícia Barros Soares Batista – EXCLUSIVO

Inicio pontuando a grande emoção que é poder dividir um pouco de minha história que poderia ter sido exatamente igual a de muitos sujeitos da EJA do Brasil: nasci no norte do Brasil, negra, pobre, filhas de pais muito pouco escolarizados, órfã de mãe. Mas, por diferentes razões meus caminhos rumaram a um destino um pouco diferente daquele traçado para a maioria dos meus pares da infância e da adolescência.

Entre olhares, saberes e “Brasis”: relato de uma experiência fotográfica – Luciana Gontijo – EXCLUSIVO

Na minha prática como professora procuro aliar a fotografia e a Geografia, pois penso que a educação voltada para a perspectiva emancipatória pressupõe que os educandos sejam capazes de fazer suas próprias leituras de mundo.

Sala de aula de EJA: encontro de pessoas – Denise Alves de Araujo – EXCLUSIVO

O tema “A Educação Básica interroga a universidade” é bastante instigante. Como professora do Centro Pedagógico (CP) – o antigo colégio de aplicação – por vezes, nesses dez anos que aqui estou, recebi junto com meus colegas as “interrogações” dessa universidade sobre a necessidade e a importância de ser ter a Educação Básica, e de modo especial, o Ensino Fundamental, dentro de seus muros, conduzidas por seus docentes.

ENTREMEMÓRIAS

Esmeralda Rocha Bunazar e a construção da identidade do “Grupo Escolar Minas Gerais” em Uberaba/MG – 1944 a 1962 – Marilsa Aparecida Alberto Assis Souza – EXCLUSIVO

O fato de ter se mantido no cargo de diretora do grupo escolar por dezoito anos consecutivos fez com que Esmeralda Rocha Bunazar desempenhasse um papel de extrema importância na formação da identidade institucional. Sua atuação não se limitou a questões administrativas, burocráticas e disciplinares, uma vez que ela transitava, com desenvoltura, no âmbito pedagógico.

PESQUISA EDUCACIONAL

SALVA, Sueli; RAMOS, Ethiana Sarachin; RAMOS, Nara Vieira. Juventude e ensino médio: os processos de afastamento da escola. Educação, Santa Maria, v.41, n.1, p.171-182, jan.-abr. 2016.

Este artigo discute alguns dados da pesquisa “Culturas Juvenis e Formação Educacional: um estudo com jovens estudantes das escolas públicas de Santa Maria que se afastam dos processos formativos” a qual teve como objetivo compreender o processo de afastamento de jovens estudantes da escola. A pesquisa quantitativa e qualitativa de caráter etnográfico utilizou diferentes técnicas para a produção dos dados: questionário, observação, entrevista, grupos de discussão e análise documental.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Cientistas fantasmas – Boletim UFMG

Em texto publicado no Boletim UFMG dessa semana, a professora Adlane Vilas-Boas do Departamento de Biologia Geral do ICB comenta sobre o perfil do cientista brasileiro contemporâneo e as manifestações contra a extinção do MCTI

Leia mais.

EDUCAÇÃO PELO BRASIL

​Associação de Jornalistas de Educação é lançada hoje em SP – Portal UOL Educação

Será lançada oficialmente nesta quinta-feira (23), em São Paulo, a Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca). A entidade é a primeira do tipo, no País, e terá profissionais com histórico de cobertura no setor.

Leia mais.

AMÉRICA LATINA

Una mujer para presidir la FUA (Página 12, Argentina)

La FUA, que nuclea a más de 250 centros de estudiantes de universidades públicas de todo el país y representa a más de un millón y medio de alumnos, es presidida por Franja Morada, que se mantiene en la conducción desde el retorno de la democracia. 

Leia mais.

PENSAR INDICA

Zotero é um software gerenciador de referências em software livre e de código aberto para gerenciar dados bibliográficos e materiais relacionados a pesquisa (como PDFs). Suas características principais são a integração com navegadores, sincronização online, geração de citações em texto, rodapés e bibliografias, bem como a integração com os processadores de texto Microsoft Word, LibreOffice, OpenOffice.org Writer e NeoOffice. É produzido pelo Centro de História e Novas Mídias (Center for History and New Media) da Universidade de George Mason (George Mason University (GMU)).

INDICAÇÃO DO LEITOR

Jaqueline Andrade – 1º Congresso de Educação do Vale do Sapucaí

Participe do nosso jornal enviando sua indicação para o e-mail:

OPINIÃO DO LEITOR

​Cris Gouvea em 19/06/2016 (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 126 – 17/06/2016 – O que podemos pensar sobre a vida e a morte de LGBTs no Brasil com o atentado em Orlando?/Anna Paula Vencato)

Impressionante como os dados expostos no texto nos são desconhecidos. O véu de silêncio sobre o tema sem dúvida contribui para o os alarmantes índices de assassinato, isto sem falar das muitas outras expressões de violência

 

Dalvit Greiner em 19/06/2016 (EDITORIAL – Edição 126 – 17/06/2016 –Docência na escola básica: autoria e reconhecimento)

Num país de salários indignos para a maioria da população, ainda carregamos a marca de privilegiados por termos “longos” recessos, “duas” férias no ano e trabalhar apenas meio horário. São esses desconhecimentos que muitas vezes põem contra nossa categoria até mesmo nossos familiares. Precisamos também esclarecer tudo isso a todos. A luta é grande!77

 

Dalvit Greiner em 19/06/2016 (CONVITE À LEITURA – Edição 126 – 17/06/2016 – ​Memórias da escola 12/Cleide Maria Maciel de Melo)

Também ando contando os dias para minha aposentadoria, Cleide. E um dos muitos motivos é que pouquíssima coisa mudou na sala de professores. A começar pela perspectiva democrática que, creio, é um imperativo moral – não realizado – em nossa profissão. Entre nós, somos – muitas vezes – egoístas e autoritários em relação aos nossos colegas. Desconstruir isso é muito difícil. Mas, vamos lá…

Participe do nosso jornal enviando sua opinião ou comentário para o e-mail:

TIRINHA

Por Armandinho

É permitida a reprodução dos textos exclusivos, desde que seja citada a fonte.

O conteúdo dos textos publicados pelo Pensar a Educação em Pauta é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não expressa necessariamente as opiniões de seus editores.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022

Coordenação Geral – Luciano Mendes de Faria Filho e Tarcísio Mauro Vago

Pensar a Educação em Pauta
Coordenação Geral – Priscilla Bahiense e Luciano Mendes
Coordenação de Pesquisa e Diagramação: Sandra Ribas

Av. Antônio Carlos, 6627 – Belo Horizonte – MG – CEP: 31270-901
E-mail:  – Telefone: (31) 3409-6167

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *