Ano 4 – Nº 126 / sexta-feira, 17 de junho de 2016

EDITORIAL

Docência na escola básica: autoria e reconhecimento

No Brasil, apesar de desempenharem uma função social da mais alta relevância, os professores e as professoras que atuam na escola básica gozam de muito pouco reconhecimento. É baixo o prestígio social da profissão e, mesmo entre os docentes do ensino superior responsáveis por sua formação, há quem explicite o mais vivo preconceito em relação à capacidade intelectual daqueles (as) alunos (as) que optam pela licenciatura. Leia mais.

NAS ONDAS DA EDUCAÇÃO 

No dia 20 de junho, o Pensar a Educação, Pensar o Brasil discute as propostas de Escola sem Partido. Projetos de lei se espalham pelo país em diversas instancias do governo e também movimentos da sociedade civil pedem que os professores tenham certas limitações quanto a exposição de opinião em sala de aula.

Segunda também tem a coluna Educação em Pauta com o professor Luciano Mendes, a Agenda da Educação com os principais eventos da semana, a coluna Pensando Bem e a sessão especial Cinema Falado com Alexandre Pimenta.

Todas as segundas-feiras, das 20h00 às 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela Rádio UFMG Educativa 104,5FM.

ENTREVISTA

“A educação e o rádio” –  Leide Mara Cota

No Pensar a Educação, Pensar o Brasil do dia 13 de junho recebemos a Mestre em Educação Leide Mara Cota, para nos contar um pouco da sua dissertação de mestrado: “Rádio, educação e formação da identidade nacional: um estudo da Rádio Inconfidência de Minas Gerais (1936-1945)”. Ela nos falou sobre a programação da rádio no período, os aspectos políticos que fazem parte da história da emissora e seu papel educativo.

CONVITE À LEITURA  

Memórias da escola 12 – Cleide Maria Maciel de Melo – EXCLUSIVO

Foi quando caiu-me às mãos o livro O educador: vida e morte, organizado por Carlos Rodrigues Brandão e publicado pela Graal. Os escritos deste livro foram falas no III Encontro Nacional de Supervisores de Educação, realizado em Goiânia entre 20 e 25 de outubro de 1980, tal como dito pelo organizador, na “apresentação”. Essas conferências – pronunciadas por Carlos R. Brandão, Marilena Chauí, Paulo Freire, Rubem Alves, Miguel Arroyo, Ildeu Coelho _ procuraram refletir sobre a dimensão política do trabalho pedagógico, a ação do pedagogo como um intelectual, um educador e não um burocrata.

EDUCAÇÃO EM DEBATE

Blog do Pensar a Educação

O Blog Pensar a Educação tem se firmado como um importante espaço de divulgação das questões relativas à educação e ciência e tecnologia e de interlocução entre os diversos sujeitos que atuam nessas áreas. Em seu primeiro mês de funcionamento o Blog teve mais de 40 mil visualizações e foi visitado por mais de 35 mil pessoas. Nessa semana, o Blog focou assuntos de grande relevância e atualidade. No post 30 dias de desgoverno Temer: 10 ações que pavimentam a volta ao passado obscuro e violento chama a atenção para as diversas politica estabelecidas ou propostas pelo governo provisório que terão como resultado o desmonte do Estado e a desestruturação das politicas públicas no país. Em outro post, Do “Volta MCTI” ao “Volta Democracia”: os cientistas na cena política, o Blog repercute a reunião da comunidade científica com o ministro provisório das Comunicações e C&TI realizada em São Paulo no último dia 08 e advoga que o grande desafios dos cientistas, hoje, é a luta pelo retorno à normalidade democrática e ao Estado de Direito. Por último, em As regras da CAPES e o desmonte das humanidades, o Blog reflete sobre os impactos negativos da nova metodologia estabelecida pela agência para o cálculo do financiamento nos Programas de Pós-Graduação das áreas de ciências humanas e sociais.

O que podemos pensar sobre a vida e a morte de LGBTs no Brasil com o atentado em Orlando? – Anna Paula Vencato – EXCLUSIVO

O que o massacre de Orlando nos propicia é um momento bom para pensar sobre nossos próprios preconceitos e sobre as vítimas, letais ou não, deles: o que nossas palavras, piadas, atitudes, falta de atitudes ou risadinhas informam? Em que incentivam a esta violência que agride e assassina tanta gente mundo afora e, em especial, no Brasil?

#prayforOrlando #fightforOrlando #protestforOrlando – Cássio Bruno de Araujo Rocha – EXCLUSIVO

Diante do massacre ocorrido na madrugada do domingo, dia 12 de junho, na boate LGBT Pulse na cidade de Orlando nos Estados Unidos, me vi, como professor de História e historiador, frente à questão não resolvida do lugar do intelectual em relação ao Poder. Em meio ao choque e à tristeza pelas vidas mais uma vez estupidamente perdidas de pessoas LGBT’s, qual posição o intelectual pode, ou deve, tomar?

Resistências, contracondutas e o filé alagoano – Roberto Silva – EXCLUSIVO

Sem dúvida, é necessário resistir! Em tempos de intensificação dos pressupostos de uma “sociedade da decepção”, de que nos fala Lipovetsky, constata-se uma proliferação das formas de individualização das responsabilidades, de descrença nas instituições públicas ou mesmo de ocaso de muitas narrativas compartilhadas.

Estudiantes inadvertidos en la educación superior  – Blanca Susana Vega Martínez – EXCLUSIVO

En México, la población de jóvenes asciende a los 21.5 millones, los cuales representan el 18.2% de la población total. De estos, de acuerdo al Instituto de Estadística y Geografía (INEGI, 2010) en México, solo el 17.1% de la población de 24 años y más, cuenta con al menos un grado aprobado en los niveles de: técnico superior, profesional, maestría o doctorado; es decir, solo un colectivo privilegiado puede acceder a la educación superior en México.

Formação continuada (e à distância) de professores – Dalvit Greiner – EXCLUSIVO

Como a perfeição platônica reside apenas no mundo das ideias, caiamos no mundo real. Professores e professoras da educação básica formam-se às suas custas num cotidiano estressante sem a tranquilidade necessária para a reflexão, a atualização e a produção de novos conhecimentos para os seus alunos do mundo real.

Diálogos com Pós-Graduandos(as) em defesa da democracia para superar a crise e conquistar mais direitos – Analise da Silva – EXCLUSIVO

Promover a interiorização das instituições de maneira que os sujeitos não sejam obrigados a sair de seus locais de origens para vir estudar na UFMG e, ao mesmo tempo, aumentar o número de vagas e criar mecanismos de inclusão de sujeitos historicamente excluídos, são algumas medidas que devem ser desenvolvidas para que a meta seja atingida.

O desafio de ser professor da educação básica: será que a formação é adequada ao exercício da profissão? – Kelli Suelli Geraldi da Silva – EXCLUSIVO

Será que professores e coordenadores dos cursos de formação conhecem os problemas relacionados à violência vivenciados pelos profissionais da educação e preparam seus alunos para enfrentar essa realidade?

La formación docente y la (no) valorización de la profesión – Jorgelina Tallei – EXCLUSIVO

Y aquí cuestiono la formación inicial y continua y la posición de la Universidad como institución principal y fundamental en ese camino. Entiendo también que es válido preguntarnos cuánto se discute sobre cuestiones de formación, cuestiones pedagógicas en los propios consejos de clase.

“Acesso aos serviços públicos da educação” – Educação em Pauta –  Luciano Mendes de Faria Filho

Prefeito de Doresópolis no centro-oeste de Minas proíbe crianças filhas de mães desempregadas ou afastadas do emprego de irem à creche para cortar custos da prefeitura. Você entende melhor esta história na conversa do Jornalista Vinicius Luis com o professor Luciano Mendes.

“Movimento Fora Temer” – Pensando Bem – Beatriz Cerqueira

Uma série de manifestações e ocupações se espalham pelo país questionando a legitimidade do governo interino de Michel Temer e repudiando muitas de suas ações. Beatriz Cerqueira fala do lugar e da importancia destes atos.vida do trabalhador.

Nota da ADUnB sobre o fim do MCTI

Os professores e professoras da UnB, reunidos em assembleia, manifestam seu repúdio à extinção do MCTI e exigem a volta do Ministério tal qual fora pensado pela comunidade científica nacional.

Leia mais.

ENTREMEMÓRIAS

Memórias norte-mineiras e formação de professores: criação da Escola Normal de Porteirinha – Wilney Fernando Silva – EXCLUSIVO

A criação da Escola Normal se deu num momento marcado por forte idealização da educação que se caracterizou por uma crença no poder desenvolvimentista. Para Alcides Mendes da Silva, prefeito municipal da época, a principal causa do atraso e do subdesenvolvimento no país residia na falta de uma economia forte.

PESQUISA EDUCACIONAL

ROCHA, Diego Marceli; RICARDO, Elio Carlos. As crenças de autoeficácia e o ensino de Física Moderna e Contemporânea. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.33, n.1, 223-252, abr. 2016.

Este trabalho visa analisar, através de uma pesquisa de natureza qualitativa, como as crenças de autoeficácia de alguns professores a respeito de seu trabalho com a Física Moderna e Contemporânea (FMC) influenciam o seu cotidiano escolar.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

A confusão e intervenção no MCTI: Não ao retrocesso –  Isaac Roitman – EXCLUSIVO

A comunidade científica brasileira foi surpreendida pela decisão de fusão do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCTI) com o Ministério de Comunicações (MC). Essa fusão provocou uma grande confusão e um sentimento de revolta que envolve um retrocesso e enfraquecimento da Ciência brasileira comprometendo o desenvolvimento social e econômico do País nas próximas décadas.

Reitoria da Univasf divulga nota pela restauração e fortalecimento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – Univasf

“Qualquer retrocesso na política de incentivo à pesquisa no País pode ser o estopim de uma avalanche de insucessos futuros na política de interiorização das Universidades no Brasil”, ressalta o documento da Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Leia mais.

EDUCAÇÃO PELO BRASIL

Secundaristas paulistas defendem articulação nacional de estudantes – Rede Brasil Atual

Estudantes do ensino básico de São Paulo organizam uma “caravana secundarista” para trocar experiências e propor uma articulação nacional com educandos de outros estados que estão realizando ocupações de escolas e reivindicando melhorias na educação.

Leia mais.

AMÉRICA LATINA

Un primer semestre sombrío para las librerías (La Nación, Argentina)

Para sorpresa de muchos transeúntes, anteayer al atardecer, bajo la llovizna y con una temperatura poco amigable, una fila de clientes esperaba su turno para entrar en la librería Adán Buenosayres, situada en la avenida Corrientes 1671. Su dueño había informado por redes sociales que liquidaría sus libros; en pocos días, la noticia circuló con rapidez y la avenida Corrientes, clásica zona de librerías de la ciudad, se colmó de lectores a la caza de oportunidades a bajo precio.

Leia mais.

PENSAR INDICA

Caminhada na mata e oficina sobre répteis estão entre as atividades do Projeto Lua Cheia no Museu, que serão realizadas na sexta-feira, 17, e sábado, 18, noMuseu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG. Os interessados devem escolher uma das duas datas para participar. A inscrição pode ser feita até o dia do evento, no site do Museu. O Lua Cheia no Museu, realizado no período de abril a setembro, está em sua sexta edição. Trata-se de um projeto de extensão da UFMG, cujo objetivo é divulgar conhecimentos científicos sobre ambientes florestais, sua dinâmica noturna, flora e fauna. O Museu fica na Avenida Gustavo da Silveira, 1.035, bairro Santa Inês.

INDICAÇÃO DO LEITOR

Valéria Ôchoa – 23ª edição da Revista Textual (Sinpro/RS)

Participe do nosso jornal enviando sua indicação para o e-mail:

OPINIÃO DO LEITOR

​​Ildeu Moreira em 10/06/2016 (EDITORIAL – Edição 125 – 10/06/2016 – ​A reunião com o Ministro e o movimento “Fica MCTI”)

Luciano, concordo em boa parte com você. Mas acho que está entregando os pontos antes da hora e acho que não se deve já considerar esta batalha como perdida. Esta me parece uma atitude meio desmobilizadora. A movimentação em universidades, instituições de pesquisa está crescendo. Lembre-se que o ato inicial, pelo menos aqui no Rio, da ADUFRJ só ocorreu 15 dias atrás! E uma reunião organizada pela SBPC RJ para discutir ações com outras entidades, que aconteceu aqui no Rio 10 dias atrás. Continue lendo.

Marília Arreguy em 16/06/2016 (EDITORIAL – Edição 125 – 10/06/2016 – ​A reunião com o Ministro e o movimento “Fica MCTI”)

Seria a proposta de “dar mais eficiência” apenas um subterfúgio para fazer brilhar a “elite científica” e aprofundar o fosso da desigualdade nesta “sociedade do espetáculo” midiatizado? Quantas “ideologias” estão por trás das bravatas sobre a educação? ‪#‎ficamcti ‪#‎xôcorrupção

 

Dalvit Greiner em 11/06/2016 (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 125 – 10/06/2016 – ​Por um projeto político pedagógico emancipatório na educação básica brasileira/Otávio Henrique Ferreira da Silva)

Por essas e outras sempre me fica a impressão que as Universidades conversam muito pouco com os professores da educação básica. Só a extensão é pouco: precisamos de mais iniciativas.

 

Dalvit Greiner em 11/06/2016 (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 125 – 10/06/2016 – O necessário fortalecimento da identidade dos sujeitos da EJA na Base Nacional Curricular Comum /Analise da Silva)

Cara Analise: como sempre, clara e pertinente. Porém, minha maior preocupação continua sendo a formação – universitária e continuada – do professor que trabalha na EJA. Precisamos, junto e após a BNCC, valorizar esse docente tornando-o um educador diferenciado, de direito e de fato. Abraço

 

Carlos Henrique Tretel em 13/06/2016 (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 125 – 10/06/2016 – O necessário fortalecimento da identidade dos sujeitos da EJA na Base Nacional Curricular Comum /Analise da Silva)

Lutas árduas à vista, pois, para os fóruns de educação, Analise. Para a superação das quais, se me permite a observação, as modernas tecnologias da informação e comunicação serão, se bem utilizadas logicamente, determinantes, bem sabemos. Continue lendo.

 

João Victor Oliveira em 16/06/2016 (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 125 – 10/06/2016 – Aqui, ali e em todo lugar: a luta é contínua/Dalvit Greiner)

Obrigado Dalvit, por suas provocações. Me fizeram deslocar a outro ponto de vista, acerca do que ecoa por aí…

A Instituição é atravessada e atravessa inúmeras complexidades, a Igreja não se isenta. Ao que pude acompanhar, inúmeras lideranças (católicas especificamente), se posicionam contra o golpe, contra os machismos de toda espécie, e também grande parte do clero da Arquidiocese de Belo Horizonte. Por exemplo). Continue lendo.

Participe do nosso jornal enviando sua opinião ou comentário para o e-mail:

TIRINHA

Por Ribs

É permitida a reprodução dos textos exclusivos, desde que seja citada a fonte.

O conteúdo dos textos publicados pelo Pensar a Educação em Pauta é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não expressa necessariamente as opiniões de seus editores.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022

Coordenação Geral – Luciano Mendes de Faria Filho e Tarcísio Mauro Vago

Pensar a Educação em Pauta
Coordenação Geral – Priscilla Bahiense e Luciano Mendes
Coordenação de Pesquisa e Diagramação: Sandra Ribas

Av. Antônio Carlos, 6627 – Belo Horizonte – MG – CEP: 31270-901
E-mail:  – Telefone: (31) 3409-6167

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *