Menu

Ano 4 – Nº 125 / sexta-feira, 10 de junho de 2016

EDITORIAL

A reunião com o Ministro e o movimento “Fica MCTI”

Há uma clara insatisfação da comunidade acadêmica com o governo Provisório hoje, apesar de boa parte dela não ter se pronunciado antes do impedimento da Presidente Dilma Rousseff, embora naquele momento já estivesse muito claro o descalabro que seria um governo chefiado pelo Vice-Presidente. Um dos pontos de maior atrito é justamente a con-fusão do Ministério da Ciência, da Tecnologia e da Inovação com o Ministério das Comunicações. Leia mais.

NAS ONDAS DA EDUCAÇÃO 

No Pensar a Educação, Pensar o Brasil do dia 13 de junho recebemos a Mestre em Educação, Leide Mara Cota, para nos contar um pouco da sua dissertação de mestrado: “A dimensão educativa da Rádio Inconfidência em Belo horizonte (1936- 1945)”.

Segunda também tem a coluna Educação em Pauta com o professor Luciano Mendes, a Agenda da Educação com os principais eventos da semana, a coluna Pensando Bem e a sessão especial Jovem Protagonista sobre a participação da família no cumprimento da medida Socio Educativa.

Todas as segundas-feiras, das 20h00 às 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela Rádio UFMG Educativa 104,5FM.

ENTREVISTA

“Pensar a Educação, Pensar o Brasil na Escola” – E.M. Dinorah Magalhães Fabri e E.M. Ana Alves Teixeira

No dia 06 de junho a Escola Municipal Dinorah Magalhães Fabri, na Vila Cemig, recebeu o Pensar a Educação, Pensar o Brasil para uma transmissão especial. O programa conversou com alunos e professores da Educação de Jovens e Adultos da instituição e também da Escola Municipal Ana Alves Teixeira, além de representantes da comunidade. Nós conversamos sobre a história das duas instituições, que funcionam a mais de três décadas, sobre os projetos Mama África e Cidade Educadora além de ouvir depoimentos de ex-alunos. A programação musical ficou por conta do talento dos moradores da região.

CONVITE À LEITURA  

Delação – Eliane Marta

Petit Robert: Dénonciation inspirée par des motifs méprisables. ➙ calomnie, dénonciation, médisance. Faire une délation. ➙ dénoncer*, trahir, vendre. Développer « comme font toutes les dictatures, un ignoble esprit de délation et de discorde » (Duhamel). HOUAISS:Ato ou efeito de delatar; acusação secreta; denúncia. 2divulgação de algo ignorado ou secreto; mostra, revelação

EDUCAÇÃO EM DEBATE

Série Avaliação da Pós-Graduação em Educação  Impacto social dos programas de Pós-graduação – Luciano Mendes de Faria Filho – EXCLUSIVO

Uma dificuldade para avaliarmos impacto social dos programas é que, no modelo atual, somente podemos fazê-lo indiretamente. Ou seja, não é possível termos indicadores diretos do impacto dos programas, pois isso demandaria o estabelecimento, a priori, dos indicadores que  seriam examinados e, mais do que isso, a utilização de metodologias que permitissem aquilatar de forma mais precisa qual foi, de fato, o impacto da ação deste ou daquele programa de pós-graduação na melhoria daqueles indicadores numa determinada realidade.

Aqui, ali e em todo lugar: a luta é contínua – Dalvit Greiner – EXCLUSIVO

A luta é contínua e continua aqui, ali e em todo e qualquer lugar. Nas cidades e escolas dos interiores de um país imenso como o Brasil, de um estado tão grande como Minas Gerais, onde a informação, na maior parte das vezes, chega por um canal apenas, torna-se preocupante o resultado de discursos impostos por instituições seculares. Claro, estou falando da Igreja, sem nenhum pudor.

Retratos de la UNILAV – Jorgelina Tallei – EXCLUSIVO

¿Qué es lo que hace de la UNILA una universidad diferente? Todo. Desde las escenas cotidianas, hasta su ciclo común de estudios. Este pequeño retrato da inicio a un largo camino que nos toca en relación a los derechos que cada uno de los que pertenecemos a la comunidad académica ha conquistado.

O necessário fortalecimento da identidade dos sujeitos da EJA na Base Nacional Curricular Comum – Analise da Silva – EXCLUSIVO

Em se tratando de Educação de Jovens e Adultos, a Base Nacional Curricular Comum não pode ser elaborada sem se levar em conta a diversidade, na perspectiva daqueles que são excluídos no Brasil. Não se pode partir de uma compreensão somente técnica. Sabemos, por experiência histórica que propostas construídas sem a participação da comunidade educacional não se efetivam.

Notas sobre a fluidez da cultura do estupro – Sandro Santos e Joaquim Ramos EXCLUSIVO

Nos últimos tempos, temos presenciado diversos acontecimentos tanto em âmbito social quanto político que têm nos deixado, no mínimo, estarrecidos – para utilizar um eufemismo. Tais ocorrências, em forma de assombros nos impactam por incidirem sobre as experiências das mulheres brasileiras.

Cultura do estupro: um pouco do que a educação e os homens podem fazer contra ela – Alexandre Fernandez Vaz – EXCLUSIVO

Assim como o preconceito é um problema para a vítima, obviamente, mas não oriundo dela, a cultura do estupro é uma tragédia que incide fundamentalmente sobre as mulheres, mas de forma alguma tem origem nelas, mas na estrutura patriarcal que conforma nossa sociedade. Superar tal estrutura é tarefa que cabe a homens e mulheres cuja educação está, no entanto, enraizada no patriarcalismo, o que torna tudo tão difícil quanto urgente.

Por um projeto político pedagógico emancipatório na educação básica brasileira– Otavio Henrique Ferreira da Silva – EXCLUSIVO

O problema da ideologia fortemente marcada na educação básica e que reproduz a desigualdade da sociedade, não se refere ao fato da educação básica ser pensada pelo ensino superior, pois afinal, uma formação em um nível mais aprofundado é fundamental para termos em nossas escolas profissionais qualificados.

Por que calar os professores? – Luciano Mendes de Faria Filho – Blog Pensar a Educação

Amordaçar os professores é, sem dúvida, uma ponte para o nosso mais obscuro passado e pode ser uma forma de criar certo conforto em relação às culpas, medos e ressentimentos vividos pelos seguimentos que a defendem. No entanto, talvez os seus defensores não imaginem que eles também podem gostar não do que vão encontrar na outra margem do rio ou quando acordarem do intranquilo sono dos injustos!

Novas propostas para a Base Nacional Curricular Comum – Educação em Pauta – Luciano Mendes de Faria Filho

O governo interino de Michel Temer propoe mudanças a execução e planejamento da Base Nacional Comum Curricular. O jornalista Vinicius Luis conversou com o professor Luciano Mendes sobre os impactos dessas mudanças.

Leia mais.

ENTREMEMÓRIAS

Maria das Dores Campos: professora, memorialista e narradora de muitas histórias… – Cairo Mohamad Ibrahim Katrib – EXCLUSIVO

O que nos chama a atenção na trajetória da memorialista não é simplesmente o exercício do magistério, mas suas obras que nos servem como suporte dialógico para várias pesquisas, pois apresentam uma riqueza de detalhes que nos permite enveredar e compreender a dinâmica da história local em suas múltiplas possibilidades.

PESQUISA EDUCACIONAL

ALMEIDA, Laurinda Ramalho de; SOUZA, Vera Lucia Trevisan; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. Legislado versus executado: análise das atribuições formativas do coordenador pedagógico. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v.27, n.64, p. 70-94, jan.-abr. 2016.

O objetivo deste texto é analisar as atribuições formativas do coordenador pedagógico (CP), segundo a legislação, na relação com a percepção de profissionais que atuam em quatro escolas públicas – duas estaduais e duas municipais – do estado de São Paulo.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Pensar o Planeta. Repensar a Educação Ambiental – Aleluia Heringer Lisboa EXCLUSIVO

Você, meu caro leitor, muito provavelmente estará vivo em 2050, sendo um dos 9,6 bilhões de habitantes, segundo previsão da ONU. Basta acrescentar 34 anos a sua idade. Aproveite e faça as contas da idade do seu filho ou neto. Bem-vindos ao futuro! Vocês não estão em uma ficção científica. A pergunta posta é como será alimentar, fornecer água, disponibilizar energia e meios de transporte para tanta gente?

Sobre Ciência, Divulgação, Museus e Ernst Hamburguer há muito o que falar… – Martha Marandino

Presente na mesa redonda do Seminário “Desafios da Difusão Científica: uma homenagem a Ernesto Hamburger” realizado no dia 9 de junho, Marta Maradino fala dos caminhos da divulgação científica.

Pesquisadores, servidores e estudantes da UFMG defendem Ministério exclusivo e política de Estado para CT&I – UFMG Noticias

A manifestação reuniu cerca de 300 pessoas no Campus da Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais

#AlgoATemer: A ciência brasileira resiste – Revista Apuro

Qual é o risco da fusão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação com o das Comunicações?

Leia mais.

EDUCAÇÃO PELO BRASIL

Unesco defende educação em sexualidade e gênero prevista em lei – Portal Agência Brasil
Aprofundar o debate sobre sexualidade e gênero na sala de aula contribui para uma educação mais inclusiva, equitativa e de qualidade. É o que diz comunicado divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil.

Leia mais.

AMÉRICA LATINA

Desafíos para la universidad privada (La Nación, Argentina)

El número total de alumnos que cursan estudios universitarios en la Argentina ronda los 1,8 millones, de los cuales 393.000 (o sea algo más del 20 por ciento) están inscriptos en instituciones privadas. En la última década, la matrícula de las instituciones públicas creció menos del 1 por ciento por año, comparado con un 6 por ciento para las privadas. De mantenerse esta evolución, es de esperar el creciente protagonismo de las instituciones privadas en la oferta de educación superior.

Leia mais.

PENSAR INDICA

Acontece entre os dias 8 e 22 de junho, em 50 cidades brasileiras, o Festival Varilux de Cinema Francês. O festival, que anualmente apresenta as relevantes produções recentes do cinema francês ao público brasileiro, promoverá pela primeira vez um seminário cinematográfico, voltado para profissionais experientes ou com menos tempo no mercado. O festival promoverá também a 5ª edição da Oficina Franco-Brasileira de Roteiros Audiovisuais. Para o incentivo à formação de novos públicos, ao todo, 20 cidades receberão as sessões educativas.

INDICAÇÃO DO LEITOR

Cláudia Mayorga – “O Caso Samarco: Perspectivas do Acordão” (Clínica de Direitos Humanos da Faculdade de Direito da UFMG)

Otávio Henrique – VII Encontro Ampliado do FMEI/ 2016

Evaldo Vilela – Educação Latin America Summit Universidades Times Higher

Participe do nosso jornal enviando sua indicação para o e-mail:

OPINIÃO DO LEITOR

Evaldo Vilela em 05/06/2016 (CONVITE À LEITURA – Edição 124 – 03/06/2016 – A educação no coração do Império: convite à leitura de um livro inexistente/Luciano Mendes de Faria Filho)

Prefácio esclarecedor, que não nos deixa desgrudar os olhos do texto e que convida a ler o livro. Sensacional. Aguardo mais detalhes para adquirir a obra completa.

 

Ecio em 04/06/2016 (CONVITE À LEITURA – Edição 124 – 03/06/2016 – A educação no coração do Império: convite à leitura de um livro inexistente/Luciano Mendes de Faria Filho)

Muito bom texto!

Participe do nosso jornal enviando sua opinião ou comentário para o e-mail:

TIRINHA

Por Duke Chargista

É permitida a reprodução dos textos exclusivos, desde que seja citada a fonte.

O conteúdo dos textos publicados pelo Pensar a Educação em Pauta é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não expressa necessariamente as opiniões de seus editores.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022

Coordenação Geral – Luciano Mendes de Faria Filho e Tarcísio Mauro Vago

Pensar a Educação em Pauta
Coordenação Geral – Priscilla Bahiense e Luciano Mendes
Coordenação de Pesquisa e Diagramação: Sandra Ribas

Av. Antônio Carlos, 6627 – Belo Horizonte – MG – CEP: 31270-901
E-mail:  – Telefone: (31) 3409-6167

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *