Menu

Ano 3 – nº 085 / quarta-feira, 03 de junho de 2015

EDITORIAL

Pesquisas em educação: divulgar é preciso!

As políticas educacionais estão entre as mais complexas iniciativas sob a responsabilidade dos Estados na contemporaneidade.  Por um lado,  há a grandiosidade dos números da educação: 200 mil escolas! Mais de 50 milhões de alunos! Mais de 2 milhões de professores! Orçamento em torno de  250 bilhões de reais! Presença em todos os mais de 5500 municípios brasileiros! Uma rede de serviços de apoio e de interesse a dar inveja a quase todos os setores da economia! Continue lendo.

NAS ONDAS DA EDUCAÇÃO

No programa Pensar a Educação, Pensar o Brasil do dia 08 de junho vamos receber a equipe do Laseb, o programa de Pós Graduação Especialização Latu Sensu em Docência na Educação Básica.

Segunda feira também tem Educação em pauta, Reportagem especial e Agenda da Educação com os principais eventos da semana.  

Todas as segundas-feiras, das 20h00 às 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela rádio UFMG Educativa 104,5FM.

ENTREVISTAS

Sons da Infância – Paulinho Pedra Azul

Na segunda feira, dia 01 o Programa Pensar a Educação, Pensar o Brasil recebeu o musico, compositor e escritor Paulinho Pedra Azul. Autor de livros infantis, ele nos contou sobre sua trajetória escolar, a musicalidade nas crianças além de nos brindas com sua música.

“O Inep que a sociedade precisa”: entrevista a Luiz Araujo

Nesta entrevista, o professor Luiz Araújo enfatiza a importância do papel do Inep no desenvolvimento de pesquisas educacionais no Brasil e critica o peso adquirido pelos exames e avaliações em larga escala nos últimos anos. 

CONVITE À LEITURA

Biblioteca Nacional de Maestros (Buenos Aires – Argentina) – Vera Lúcia Gaspar  EXCLUSIVO

Além dos serviços de apoio às bibliotecas escolares de todo o país e aos professores, da significativa atuação na preservação do patrimônio educativo, do estímulo à pesquisa e à leitura, tornou-se lugar que articula com maestria passado e presente.

Leitura: modo de usar VI  Eliane Marta Teixeira Lopes  EXCLUSIVO

Ao contrário do que sempre pensamos, não é a democracia que nos protegerá, somos nós que temos de protegê-la. Livros banidos, queimados, jogados às traças no porão das distribuidoras e editoras; escritores assassinados, perseguidos, relegados, ignorados por suas ideias… existem.

EDUCAÇÃO EM DEBATE

O sucesso dos países asiáticos na última avaliação do PISA – Matheus da Cruz e Zica EXCLUSIVO

O texto dá início à Série: Pensar a educação na China, Pensar o nosso Tempo, composta de 5 artigos independentes entre si, mas conectados em suas temáticas. 

Parques Infantis: seguros, previsíveis e estéreis? – Aleluia Heringer Lisboa  EXCLUSIVO

Infelizmente idealizamos e olhamos para esses espaços a partir de nossos receios e medos de adultos. Pensamos sempre no pior e, assim, nossa tendência é retirar do caminho tudo aquilo que representa a mais simples ameaça.

Carreirismo Acadêmico,Ongueiro e Estatal –  ZAGAIA

A única coisa que interessa e está no horizonte de muitos desses parasitas é o próximo evento, a próxima publicação, a próxima pontuação no currículo, o próximo lobby acadêmico, o próximo edital ou concurso, o próximo passo de sua carreira individual…

Greves nas Universidades Federais – Marcus Taborda

Mais de 50 universidades federias do Brasil já estão em greve. Entre as reivindicações de professores e servidores técnicos administrativos destacam-se melhores condições de trabalho, garantia de financiamento público estável e suficiente às instituições, abertura de concursos públicos e a reestruturação da carreira.

Cientistas voltam à escola – Isaac Roitman

A educação científica estimula a curiosidade, a imaginação, desenvolve habilidades, estimula o jovem a observar, questionar, investigar e entender de maneira lógica os seres vivos e os eventos do dia a dia. Um ensino de ciências de qualidade na educação básica certamente seria beneficiado pela presença constante não só de professores e pesquisadores das universidades nas escolas, mas também de bolsistas de iniciação científica e estudantes de pós-graduação (mestrandos e doutorandos).

Desafios educativos: humanizar, incluir, socializar – Boletim UFMG

Muitas são as condições existenciais que devem ser criadas coletivamente na inserção e socialização do deficiente. Diante das “limitações”, processos de inclusão são construídos, desconstruídos e reconstruídos pela sociedade civil organizada e pelo poder público.

Leia mais…

SEÇÃO ESPECIAL – A DIVULGAÇÃO DA PESQUISA EM EDUCAÇÃO

Pensar a Educação Pensar o Brasil – 1822/2022: um projeto em 10 ações! – EXCLUSIVO

Na última semana o projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil realizou o seminário “Educação no Espaço Público: a comunicação pública da pesquisa em educação no Brasil”. Reunindo colaboradores da publicação Pensar a Educação em Pauta, as mesas redondas lembraram a necessidade de divulgar a pesquisa na área e seus resultados. Nas conversas entre jornalistas e pesquisadores foram pontuados os cuidados necessários para uma comunicação publica eficiente e que de fato alcance o público, leigo ou não. Isso tudo para criar e aperfeiçoar a cultura cientifica no Brasil. Nesta sessão os colaboradores falam das mesas redondas que participaram e do evento.

Para quem escrevemos? – Eliane Marta Teixeira Lopes  EXCLUSIVO

O QUEM sempre esteve definido e decidido. Só depois das buscas na internet terem se tornado um hábito de todos os procuram soluções para problemas reais ou imaginados é que o QUEM se tornou amplo, heterogêneo e leigo para esse e outros grupos de profissionais. Agora não sabem mais para quem escrever, para quem escrevem.

Para quem escrevemos: Pesquisa em Educação e o Boletim Pensar a Educação em Pauta – Renata Duarte Simões  EXCLUSIVO

A circulação textual e a forma de leitura podem variar de acordo com o tipo de suporte em que o texto é editado. O texto veiculado pela rede alcança seu destino, o leitor, em velocidade muito mais rápida que os impressos, o que acelera o processo de apropriação.

Comunicação da pesquisa em educação: para quem escrevemos? – Ana Luiza Jesus da Costa   EXCLUSIVO

Dizer que nossas pesquisas devem chegar ao espaço público ainda é responder de forma incipiente e genérica à pergunta título. O espaço público é muito heterogêneo, ou além, conflitante.

Universidade, Esfera Pública (Ciência e mal-estar nas Humanidades II) – Alexandre Fernandez Vaz – EXCLUSIVO

A fragilidade de uma esfera pública entre nós tem muito a ver com esse acanhamento da Universidade. Ela é simultaneamente fruto e uma das causas desse processo, com sua tradição encastelada e aristocrática que se reflete, entre outras, na dificuldade em aceitar que a sociedade debata suas questões, que diga o que pensa, por exemplo, sobre suas decisões internas.

Rota Morávia: o percurso da mudança – Juliana Santos Botelho  EXCLUSIVO

Lado a lado com a apropriação social do conhecimento científico para a recuperação ambiental local, Morávia vem lutando também pela apropriação dos espaços públicos pela comunidade local.

Sobre a pesquisa e a prática em educação e comunicação da ciência: reflexões e desafios – Martha Marandino  EXCLUSIVO

As razões de se promover e ampliar o acesso ao conhecimento científico vem sendo apontadas por vários autores, existindo argumentos éticos e mesmo altruístas, que reforçam a ideia de que conhecer é uma forma de poder e instrumento de cidadania.

Universidades e espaço público no Brasil: tensões e conexões I – Marcus V. Carvalho – EXCLUSIVO

As universidades são entes políticos, posto que públicos, sendo elas privadas ou estatais, instituindo-se em meio às discussões, deliberações e decisões coletivas realizadas em público instruídas por direitos e leis. A política pressupõe isonomia, definindo igualdade dos cidadãos perante a lei.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

€ 13 bilhões para apoiar a pesquisa científica até 2020 – Agência FAPESP

“Além de apoiar as melhores mentes e as mais inovadoras ideias europeias, queremos também atrair pesquisadores talentosos de outras regiões do mundo”, disse.

Leia mais…

EDUCAÇÃO PELO BRASIL

A diversidade racial como eixo do ensino infantil – Jornal Gazeta do Povo (PR)

Escola de Curitiba vira exemplo de como trabalhar questões étnico-raciais com crianças de 0 a 6 anos em sala de aula.

Leia Mais…

AMÉRICA LATINA

Reinventar la educación (La Nación, Argentina)

Hace tiempo encontré un video británico en Internet que contaba la historia de un hombre que se despierta luego de haber estado dormido durante 100 años.

Leia mais…

PESQUISA EDUCACIONAL

NOVOA, António. Em busca da liberdade nas universidades: para que serve a pesquisa em educação?. Educ. Pesqui. vol.41 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2015

O texto, que corresponde à transcrição da palestra proferida no Porto, no Congresso Europeu de Pesquisa Educacional (4 de setembro de 2014), inicia-se com quatro histórias que são sintomas da corrosão atual das universidades e da pesquisa.

PENSAR INDICA

Foi produzido pela”The Report Company” e distribuído pelo diário britânico “The Guardian”, um caderno especial que coloca o Brasil como um país próximo de se tornar o maior centro de tecnologia e inovação do hemisfério sul. Ao longo de suas 28 páginas, o caderno apresenta um panorama sobre educação, ciência, tecnologia e inovação no Brasil.

INDICAÇÃO DO LEITOR

Ademilson de Sousa Soares – Seminário Lançamento  da Linha de Pesquisa: “Infância e Educação Infantil” – NEPEI

Wemerson Amorim – EURAXESS researches IN Motion

Tarcísio Mauro Vago – UFMG Debate Maioridade Penal

Denize Cardoso Pereira – Divulgação do Prêmio RMM‏

NEPEI – VI Encontro Ampliado Fórum Mineiro de Educação Infantil

Participe do nosso boletim enviando sua indicação para o e-mail 

OPINIÃO DO LEITOR

Comentários pelo Facebook:

José Rubens em 29/05/2015 (EDITORIAL – Edição 084 – 26/05/2015 – Ciências Humanas, Inovação e… Tradição)

Excelente proposta. Sigam em frente.

Marcia Gomes em 30/05/2015 – (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 084 – 26/05/2015 – VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: entre a farsa, a fraude (e o êxito?)/Sandro Vinicius Sales dos Santos e Joaquim Ramos)

Contagem também conseguiu deturpar um momento que deveria ser democrático, chegando a taxar os delegados de meros convidados

Rafael Adriano em 1º/06/2015 – (EDUCAÇÃO EM DEBATE – Edição 084 – 26/05/2015 – VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: entre a farsa, a fraude (e o êxito?)/Sandro Vinicius Sales dos Santos e Joaquim Ramos)

Lastimável esse diagnóstico sobre a discussão de algo tão importante para a Educação de BH.

Participe do nosso boletim enviando sua opinião ou comentário para o e-mail 

TIRINHA

Por Facebook O mundo de Julhelena

É permitida a reprodução dos textos exclusivos, desde que seja citada a fonte.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022
Coordenação Geral – Luciano Mendes de Faria Filho e Tarcísio Mauro Vago

Pensar a Educação em Pauta
Coordenação Geral – Priscilla Bahiense e Luciano Mendes
Coordenação de Pesquisa e Diagramação: Sandra Ribas

Av. Antônio Carlos, 6627 – Belo Horizonte – MG – CEP: 31270-901
E-mail:  – Telefone: (31) 3409-5313

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *