Menu

Autonomia na Educação Infantil

Cléa M. M. Prado*

 

Sou de uma época que na escola ouvia a professora dizer: “Quem sabe amarrar cadarço do tênis sabe ler. Hora de aprender a amarrar o tênis”. Como criança achava o máximo e até recitava a parlenda do coelhinho para dar os laços. Quando adulta e professora fui pesquisar a relação amarrar o tênis e se alfabetizar. A resposta a essa inquietação vem da palavra – autonomia. Segundo os dicionários mais renomados é a qualidade de ter independência, ter a liberdade para tomar decisões, responsabilidade sobre seus próprios atos, autossuficiência.

Bem! Temos os significados, mas e a relação autonomia X amarrar o cadarço? Pois é justamente neste ponto que está o brilho da brincadeira. A criança que amarrar o próprio tênis  apresenta características como tomar decisões, agir diante de uma situação problema e aceita melhor os desafios.

Para construir e agir de forma autônoma a criança precisa conhecer os próprios gostos ou preferências, dominar habilidades e testar seus limites. Acertar e errar ao realizar pequenas tarefas, sempre levando em conta a cultura, a sociedade, o ambiente e as pessoas com quem convive. O autoconhecimento começa no início da vida quando nós mães, achamos lindo ensinar os nossos pequenos a segurar a mamadeira, a firmar as pernas para dar os primeiros passos, a retirar a fralda.  Toda orgulhosa ensinamos e incentivamos as primeiras palavras e nos derretemos quando falam mamãe.

Quando nossos filhos crescem um pouco mais e chegam a fase escolar, significa que são capazes de conhecer alguns limites, de tomar pequenas decisões, viver novas experiências, arriscar em aventuras longe de nós. É a hora de mostrar o que aprenderam em casa e ampliar o conhecimento em um novo mundo.  Na escola, um ambiente que favoreça a autonomia e a independência, nossos filhos crescem e ganham asas.

 O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil ressalta que na escola os atos cotidianos em atividades sistematizadas dão atenção permanente à questão da independência e autonomia em todos os seus recursos pedagógicos e sociais. Um bom exemplo dos recursos é a realização de tarefas com o ajudante do dia, na escolha de materiais e seus usos, na higiene pessoal, usar o vaso sanitário, de alimentar-se e vestir sozinho. Enfim a escola e família na Infância são parceiras na aquisição do conhecimento, mas principalmente na Educação Infantil na aquisição das habilidades para vida.

Ter autonomia significa ter vontade própria e ser competente para atuar no mundo em que vive. É na escola que a criança conquista suas primeiras aprendizagens – adquire a linguagem, aprende a andar ao lado do outro, forma o pensamento simbólico e se torna um ser sociável.

Foi assim aprendendo um pouco mais sobre autonomia na educação que entendi as lições da minha professora e também me tornei professora. Aprendi com ela a amarrar o cadarço do tênis, a pesquisar a infância e a amar as crianças que todos os dias chegam em nossas escolas.

*Professora e Gerente Educacional (Kroton Educacional)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *