Pesquisa Educacional – Virgínia Ávila E Iracema Anjos – A Pesquisa E O Ensino De História Da Educaçãono Curso De Pedagogia

A pesquisa e o ensino de história da educação no curso de pedagogia: um relato de experiência a partir do estágio docência

Virgínia Pereira da Silva de Ávila
Iracema Santos Carvalho Anjos*

Problematizar o papel da disciplina de História da Educação no Brasil (HEB) na formação do professor/pedagogo, enfatizando o seu lugar no campo da pesquisa em educação constitui temática central no exercício do meu ofício como professora e orientadora na graduação e na pós-graduação da Universidade de Pernambuco – UPE, Campus Petrolina. Na pós-graduação, além do ensino e da pesquisa, também sou responsável pelo acompanhamento do estágio docente de alunos (as) que estão sob minha orientação no curso de mestrado profissional em Formação de professores e práticas interdisciplinares. O estágio docência é uma atividade curricular obrigatória para todos os estudantes de pós-graduação stricto sensu da UPE, com no mínimo 30 e máximo 60 créditos.

O estágio docente na disciplina de HEB, foi realizado no segundo semestre de 2018, articulado ao projeto de ensino A disciplina de História da Educação na formação do(a) pedagogo(a) e o seu lugar no campo da pesquisa em educação, cadastrado na Plataforma Lattes. Este projeto aborda a história da educação no Brasil, escrita a partir de fontes diversas, no contexto social, político, econômico e cultural do país em diferentes períodos históricos. Com carga horária de 60h, o projeto se organiza em torno de 04 quatro etapas: a) estudo e análise de fontes de pesquisa para a história da educação brasileira e pernambucana; b) oficinas de higienização e digitalização de fontes provenientes de arquivos escolares e/ou acervos pessoais; c) entrevistas; d) visitas técnicas (acervos e museu).

Foram várias as estratégias utilizadas para o ensino-aprendizagem na disciplina em questão, a exemplo, exposição dialogada, estudo e análise de fontes diversas, trabalhos individuais e em grupo, pesquisa de campo em escolas de interesse dos alunos nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) e, entrevistas realizadas por eles com alunos e professores que estudaram e atuaram nessa região entre as décadas de 1940 e 1970. As entrevistas foram previamente orientadas de acordo com os preceitos da metodologia da História Oral e respeitando as prescrições do comitê de ética.

A disciplina de HEB tem por objetivo analisar as mudanças e as exigências que se impõem à educação e à escola no século XXI segundo a análise dos condicionantes históricos, políticos e sociais de sua produção ao longo do tempo. Ocupa-se, sobretudo, em problematizar o papel da história da educação na formação do professor/pedagogo e, é meio de enfatizar o seu lugar no campo da pesquisa em educação. Para alcançar o objetivo posto no período do estágio docência, a articulação dos conteúdos dessa disciplina à pesquisa científica foi realizada por meio de uma organização didático-pedagógica que associou a história da educação escolar local, em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) na mesorregião do Vale do São Francisco, às principais ideias e fatos vistos que marcaram a definição dos fins e ideais da escola brasileira.

As atividades em sala de aula ocorreram por meio da apresentação de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), dissertações de mestrado e projetos de pesquisa desenvolvidos ao abrigo da linha de pesquisa Estudos históricos sobre escola, cultura e memória, vinculada ao Grupo de Estudos e Pesquisa História da Educação no Sertão do Francisco. Somadas a estas atividades, a realização de uma Oficina de higienização de documentos escolares ministrada por alunos e ex-alunos dos cursos da graduação nas licenciaturas em História e Pedagogia e, do curso de mestrado profissional em Formação de professores e práticas interdisciplinares da UPE. Essa estrutura teve por finalidade aproximar os alunos de algumas experiências de pesquisas realizadas no campo da História da educação e da historiografia da educação brasileira, e da discussão de diferentes objetos e metodologias adotadas.

Essas atividades significaram momentos oportunos para discutir sobre a preservação da memória escolar, que é um componente fundamental à qualidade e fator de integração e de fortalecimento dos laços intergeracionais da comunidade escolar, sendo um importante meio para promover valores humanos mais elevados a serem preservados e despertados pela prática da educação.

Como parte do mesmo processo, ocorreu uma visita didática técnica ao Museu do Sertão de Petrolina, com base na concepção Bourdiana de acesso ao Capital Cultural, à percepção da memória e da identidade local. Outro processo de integração foi o estímulo à participação dos alunos na condição de ouvintes dos trabalhos apresentados na Semana Universitária da UPE – Petrolina (PE), promovendo a integração entre a graduação e a pós-graduação.

Desse modo, acreditamos que o estágio docente contribui na formação acadêmica e profissional dos(as) alunos(as) de pós-graduação stricto sensu e, ao mesmo tempo permitiu auto avaliação de desempenho, a aquisição de novos conhecimentos e aprimoramento da postura diante da atividade docente. Integrar esse processo com a atividade de pesquisa possibilita que a aprendizagem possa ocorrer de modo significativo, ao envolver o aluno como pessoa como um todo. Ou como diz o professor Miguel Arroyo, a formação de professores é uma formação humana, que extrapola a usual interpretação que confina a formação aos espaços e tempos determinados.

*Iracema Santos Carvalho Anjos é graduada em Gestão de Turismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE),aluna do curso de pedagogia e mestranda no Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares – Mestrado Profissional da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina.


Imagem de destaque: Arquivo das autoras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *