Os números da educação e as políticas educacionais

[Editorial do jornal Pensar a Educação em Pauta n. 153]

Uma das grandes ilusões da modernidade é a de que é possível reduzir tudo a números.  Da produção material aos gostos, passando pela política e pelos sentimentos, tudo, ao fim e ao cabo, poderia ser reduzido a uma representação numérica. Não por acaso, a estatística (ou estadística) se expandiu e adquiriu grande notoriedade nos últimos séculos.  Por meio de seus procedimentos e métodos, suas análise e prospecções, poder-se-ia interpretar e ordenar o presente e projetar seguramente o futuro – desde que a ordem fosse mantida, o progresso estaria assegurado! 

Continue lendo aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *