Rede

Obscuros Horizontes

[Editorial do Jornal Pensar a Educação em Pauta, n. 177]

 

A Prefeitura de Belo Horizonte cedeu à pressão de obscurantistas vereadores cristãos e publicou decreto em que retira da Secretaria da Educação a atribuição de estabelecer diretrizes, políticas e práticas relativas à diversidade sexual e de gênero nas escolas do município. Como já se sabe, a construção do acordo que levou o prefeito Alexandre Kalil a assinar o decreto com tal finalidade passou pela pressão exercida pela bancada de vereadores que se autointitulam cristãos e que tem se notabilizado  pela defesa de valores e comportamentos  homofóbicos e contrários às políticas de reconhecimento das diversidades que nos constituem.

Continue lendo aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *