Dossiê Gêneros e Sexualidades: desafios e potencialidade para a Educação em tempos de conservadorismos (Revista Ártemis)

Frederico Cardos.  Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Anderson Ferrari. Professor Adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Em 2015, fomos convidados por estudantes do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Viçosa (UFV) para um “Café Pedagógico”, uma conversa sobre questões relativas à temática “Corpo, Gênero, Sexualidade e Educação”. O evento, totalmente organizado e construído pelos/as próprias estudantes, tinha como objetivo discutir, entre outras coisas, a propagada ideologia de gênero; expressão que parecia ganhar força desde o ano anterior quando, em 2014, passou a circular nos debates que envolvia a elaboração do Plano Nacional de Educação (PNE) em todo o Brasil. Já naquele momento, o contexto histórico era preocupante e revelava um aspecto das políticas de gênero e de sexualidade que vem se acirrando, ou seja, gênero e sexualidade são construções discursivas, o que significa dizer que são disputas que se efetivam em diferentes circunstâncias e em relações de força. Esse grupo de estudantes nos mostrava, por meio dos seus interesses, que a Educação tem sido um espaço de confronto, de negociação e de luta em que as discussões de gênero e de sexualidade dizem “Presente!”. Educação não se realiza sem política, ela será sempre ato político e, nesse sentido, esse convite para o debate no “Café Pedagógico” se estende agora para o/a leitor/a deste Dossiê, chamado/a a/à debater, a partir dos artigos, o contexto atual de produção e de disputa das relações de gênero e sexualidade, trazendo, para esta leitura, seus discursos, suas experiências, suas imagens, suas práticas, suas vivências, potencializando os textos. (Extraído da Apresentação do Dossiê)

Leia, aqui, o texto completo e o sumário da Revista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *