Edição 200 – JPEP

Pensar a Educação e a experiência de romper fronteiras

Virgínia Pereira da Silva de Ávila

Fui apresentada ao Jornal Pensar a Educação em Pauta em 2014, no XI Congresso Iberoamericano de Historia de la Educación Latinoamericana, realizado em Toluca, no México, pelo professor Luciano Mendes, um dos coordenadores juntamente com o professor Tarcísio Vago, do projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil (1822- 2022), cuja  coordenação executiva está sob a batuta de Priscilla Nogueira Bahiense, sempre atenta e cuidadosa com todos aqueles que participam direta ou indiretamente do Projeto.

Para quem não conhece ainda, o “Pensar a Educação, Pensar o Brasil” (PEPB) foi criado na UFMG em 2007 e articula um conjunto de ações na interface entre extensão, ensino, pesquisa e comunicação pública do conhecimento científico sobre educação, com o objetivo maior de propor reflexões e alternativas para a educação pública brasileira. Entre essas ações está o Jornal Pensar a Educação em Pauta (JPEP), criado em 2013 e que chega agora a sua edição de número 200. Pensado inicialmente como um Boletim, não demorou para que assumisse um novo formato, passando a circular como jornal em 2016.

Minha estreia como articulista no JPEP se deu em agosto de 2014, na edição de número 052. Naquela oportunidade, recém-chegada à Universidade de Pernambuco (UPE), Campus de Petrolina (a região está localizada no Sertão Médio São Francisco), utilizei o espaço para socializar com os colegas de outras regiões a criação de um núcleo de extensão e pesquisa interdisciplinar no curso de pedagogia, não havia ainda pós-graduação stricto sensu na instituição. Em novembro, na edição de número 066, escrevi sobre “Os arquivos escolares como fonte de pesquisa para a história da educação”.

Assim, em 2015 o foco dos textos foi direcionado à pós-graduação e a extensão universitária, entre os títulos: “Primeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade de Pernambuco em Petrolina”, “Os desafios dos mestrados profissionais na área de Educação”, “Extensão Universitária nos cursos de licenciatura e redes de cooperação Brasil e Itália” e “A extensão universitária como instrumento de participação e inserção social”. Escrevi ainda sobre um projeto de extensão de comunicação de pesquisas em uma rádio local. Nesse mesmo ano, a coordenação do Pensar a Educação, Pensar o Brasil, reuniu articulistas do então Boletim Pensar a Educação em Pauta, nos dias 26 e 27 de maio, na Faculdade de Educação da UFMG para a realização do “Seminário sobre a comunicação pública da pesquisa em Educação no país”. Foi um momento profícuo e afetuoso de encontro, discussões e trocas.

De lá para cá, o espaço a mim cedido tem sido compartilhado com alunos da pós-graduação e professores que atuam nos cursos de graduação da UPE, possibilitando assim, a socialização de experiências desenvolvidas no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão.

Dos texto publicados, destacam-se: “História da Educação no Sertão do São Francisco: contribuições de um campo de pesquisa”, “A lei n.º 10.639-03 e o uso de documentação sobre escravidão em aulas de história”, “Plano Nacional de Educação e a formação de professores da Educação Básica: implicações para as universidades públicas (Parte I)”, “O IDEB e a realidade do Estado do Ceará: o exemplo de Sobral”, “Ocupar, resistir e transformar: o recado dos estudantes da UPE”, “Mídia e educação em tempos de (des)informação” e “Democracia e justiça social: a defesa de Anísio Teixeira registrada no livro Educação no Brasil”.

Essa edição comemorativa marca, portanto, o esforço coletivo de professores e alunos das mais diversas instituições de ensino que se dedicam à elaboração de reflexões, informações e produção de conteúdos sobre a educação brasileira e latino-americana, constituindo-se em prática de comunicação pública de pesquisas em educação, como explicitado na apresentação do Pensar a Educação em Pauta. Com um público-alvo que abrange estudantes de graduação e de pós-graduação, professores da educação básica e pesquisadores, o Jornal Pensar a Educação em Pauta circula semanalmente, às sextas-feiras, com acesso gratuito, e é enviado para seus assinantes por mala direta, via e-mail.

Vida longa ao Pensar.

Petrolina – PE, 27 maio de 2018

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *