SONY DSC

Não em nome das crianças: por uma sociedade do afeto

O Núcleo de Estudos e Pesquisas em Infância e Educação Infantil da Universidade Federal de Minas Gerais (NEPEI/ UFMG) vem a público repudiar o falso argumento de proteção à infância, proferido por políticos e grupos equivocados, e que se materializa na perseguição dogmática a manifestações artísticas.

No Brasil de hoje as crianças são vítimas de violências de todo tipo, incluindo assédio sexual e estupro, que ocorrem, grande parte das vezes, nos espaços domésticos. Entre todos os grupos sociais, as crianças são as maiores vítimas da negligência e da irresponsabilidade dos poderes públicos . A redução drástica de recursos de políticas públicas de combate à pobreza e proteção  à infância como  o Programa de  Combate ao Trabalho Infantil e o Programa Bolsa Família são exemplos recentes da precarização das condições de vida das crianças brasileiras. Tais dados e ações, no entanto, não foram objeto de qualquer manifestação por aqueles que hoje se auto proclamam defensores da infância.

Causa-­‐nos, pois, indignação que, tais grupos políticos lancem uma “cortina de fumaça” sobre os reais problemas que incidem sobre as crianças e, de forma oportunista, constroem uma “cruzada” marcada pelo falso moralismo e pelo proselitismo insidioso. Atribuem os males do Brasil à realização de exposições artísticas em espaços públicos fechados, que, segundo querem fazer crer, estariam corrompendo a infância. Esses políticos não poupam esforços e nem tampouco se preocupam em seguir as regras éticas e legais que, de fato, revelariam um compromisso com a defesa dos direitos das crianças.

Exemplo disso foi o ato de desonestidade protagonizado pelo vereador Jair di Gregori  e seus assessores, na cidade de Belo Horizonte, nos dias 6 e 7 de outubro de 2017. No afã de criar um “fato midiático”, o vereador filmou, no dia 6 de outubro, crianças e professoras em visita a um festival de curtas que ocorria no Palácio das Artes, espaço público destinado à arte e à cultura. Mesmo sendo alertado por populares e esclarecido pela professora, que lhe informou prontamente que se tratava de uma atividade destinada ao público infantil, o vereador e sua equipe editaram o vídeo  de tal maneira a levar o espectador a concluir que as crianças haviam acabado de sair da exposição do artista Pedro Moraleida. Esta última, de acesso restrito a adultos maiores de 18 anos, regra competentemente cumprida pela instituição. No dia 7 de outubro, assessores que acompanhavam o citado vereador ao Palácio das Artes, repetiram a ação de filmagem, sem autorização, de grupos de crianças da educação infantil, acompanhados de sua professora, que se dirigiam ao festival de curtas.

Diante desse fato desleal e indigno, o NEPEI manifesta sua solidariedade à professora, às crianças e suas famílias. Parabeniza a Secretaria Municipal de Educação que prontamente divulgou nota esclarecendo a população belorizontina e exigiu da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte as medidas cabíveis.

Parabeniza também pela política municipal que assegura às crianças o contato com espaços e manifestações culturais, presentes em diferentes regiões da cidade, muitas das quais de difícil acesso para grande parte da população.

São políticas como essa que ancoram a construção da cidadania, na compreensão da arte como um direito humano. Que os adultos desta cidade estejam de fato empenhados em proteger e cuidar da criança, não em usá-­‐la como moeda eleitoral ou bandeira para causas comprometidas com interesses espúrios e privatistas.

O Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Infância e Educação Infantil (NEPEI/FAE/UFMG) acompanha e espera as medidas a serem tomadas pela Câmara de Vereadores de Belo Horizonte e permanece na defesa incondicional de todos os direitos das crianças, incluindo o direito à arte e à cultura!

 

Belo Horizonte, 11 de outubro de 2017

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Infância e Educação Infantil Universidade Federal de Minas Gerais( Nepei/ UFMG)

Profa. Dra. Iza Terezinha Luz-­‐ coordenadora do Nepei

Prof. Dr. Levindo Diniz-­‐ vice-­‐ coordenador do Nepei

Prof. Dr. Ademilson Soares

Profa. Dra. Isabel Oliveira e Silva

Profa. Dra. Lívia Fraga

Profa. Dra. Maria Cristina Soares de Gouvêa

Profa. Dra. Maria Inês Goulart

Profa. Dra. Monica Batista Correia

Prof. Dr. Rogério Correia da Silva

Profa. Dra. Sara Mourão

Profa. Dra. Vanessa Ferraz Neves

 

 

Foto: Pedro Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *