Roberta Poltronieri – Memória E Discurso– A Circulação Dos Significados Sobre O Massacre Em Suzano

Memória e discurso: a circulação dos significados sobre o massacre em Suzano

Roberta Poltronieri

 

Esta semana o Brasil foi surpreendido com uma chocante tragédia ocorrida dentro de uma escola pública em Suzano-SP. Dois jovens identificados como ex-alunos da escola Raul Brasil localizada na cidade de Suzano, promoveram mortes com tiros e golpes de machados em alunos e funcionários da escola. Após a matança, ambos tiraram suas próprias vidas, fato este, assim como o levantamento dos fatos complementares, ainda está sendo esclarecido pelas autoridades policias.

Os primeiros indícios segundo notícias e entrevistas com autoridades, revelaram que estes dois  jovens assassinos, premeditaram este massacre. Isso se deve ao fato da polícia ter encontrado no computador dos jovens assassinos buscas na internet, sobre o massacre dos Estados Unidos em Columbine, (em que um aluno matou dentro da escola colegas e professores) acessos a sites proibidos conhecidos como “Deep Web”, foruns virtuais com conteúdos intolerantes no qual utilizavam nomes anônimos além de cadernos com anotações sobre táticas de jogos.

Levando em consideração o que se sabe sobre o massacre e aguardando todo processo investigativo, o acesso sobre este acontecimento entre crianças jovens e adultos demonstram um alerta. Notícias e histórias verbais e não verbais em cirulação (como ocorreu nos EUA e agora em Suzano) podem desencadear outros tantos processos simbólicos nos sujeitos que consomem estes conteúdos, visto que, a circulação de vídeos e notícias do presente e passado podem ser acessados a qualquer momento pela internet, provocando as mais variadas formas de interpretação.

Ao lançar mão de aportes teóricos científicos da Análise do Discurso sobre a memória e os discursos de circulação social, relata-se que o efeito e o significado dos massacres ocorridos anteriormente segue uma premissa incontrolável sobre o sujeito que interpreta tais acontecimentos. O que revela a importância dos espaços escolares formais não silenciar a discussão sobre este tema tão caro a sociedade. Foucault (1969), em “Arqueologia do saber” elucida que o campo da memória “É constituído, também, pelo conjunto das formulações a que o enunciado se refere (implicitamente ou não), seja para repeti-las, seja para modificá-las ou adaptá-las, seja para se opor a elas, seja para falar de cada uma delas; não há enunciado que, de uma forma ou de outra não reatualize outros enunciados “ (pg, 111).

Desta forma, Foucault argumenta que este campo de interpretativo presente na memória de cada sujeito pode revelar significados tão inesperados como diversos.

Seguindo esta fundamentação de Foucault o acontecimento de Suzano não está intocável de ser associado a uma possível memória de outros acontecimentos semelhantes em outras partes do mundo. Ainda assim, seguindo está lógica um fato preocupante foi colocado pela jornalista Claudia Colluci na Folha de São Paulo nesta semana sobre o “efeito contágio”, em que relatou estudos científicos produzidos pela Revista Científica Plos One, no qual mostrou indícios de que assassinatos em massa com armas de fogo, ocorridos no passado, poderiam influenciar em diferentes graus ataques da atualidade.

Com a responsabilidade e ainda com o pesar da situação, professores e profissionais da educação podem contribuir de alguma forma. Sem tirar a responsabilidade do governo, o pós tragédias deixa uma lacuna grande na sociedade, que tristemente se consola neste momento ao mesmo tempo que busca explicações. Desse modo, as escolas podem alongar-se a dimensão social e promover formas de discussões em torno de assuntos envolvidos com a violência social que circunda a educação e a sociedade. Ademais, ainda restam muitas perguntas a serem feitas que contracenam com alguns reveses, quando se depara com a atual situação e qualidade da escola pública no país.


Referências

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007. Edição original: 1969.

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudiacollucci/2019/03/estudos-apontam-risco-de-efeito-contagio-de-ataques-em-escola. Acesso  em 14/03/2019

Imagem de destaque: Ryan Tauss/Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *