Ano 2 – nº 035 / sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Fique atento às atrações do programa de rádio “Pensar a Educação, Pensar o Brasil” do dia 21 de fevereiro de 2014

Todas as segundas-feiras, das 20h00 as 22h00, o programa Pensar a Educação Pensar o Brasil vai ao ar pela rádio UFMG Educativa 104,5 FM. No próximo dia 21 de fevereiro teremos a participação especial da professora Antônia Aranha, que vai falar sobre o Sisu. Como sessão especial teremos “Sons e Literatura” com Marco Scarassatti, além da agenda educativa, sorteio de livros e muito mais! Você pode ouvir pela internet acessando AQUI.

Rádio UFMG Educativa faz série para relembrar os 50 anos do Golpe Militar no Brasil

Serão, ao todo, 50 programas que começam a ser veiculados no dia 10 de fevereiro e vão até 31 de março de 2014, data em que completam 50 anos do Golpe. Na página do projeto você poderá acompanhar todo o processo de produção, ouvir os cinquenta programas e ter acesso a material extra, como vídeos e imagens produzidas e recolhidas pela equipe. Acesse: www.50anosdogolpe.tublr.com

Professor da FaE é novo representante da área de Humanas no CNPq – Portal UFMG

O professor da Faculdade de Educação (FaE) Luciano Mendes de Faria Filho é o novo representante da área de Humanas na Comunidade Científica do Conselho Deliberativo do CNPq. O professor, que coordena o Projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil, na UFMG, foi designado para mandato de dois anos.

Meio século de história – Campo Grande News

Cinquenta anos atrás, surgia no Brasil a modalidade de capacitação prática que ficou conhecido como estágio. Nela, o estudante completa os conhecimentos adquiridos na universidade com a atuação prática nas empresas. Com isso, ganhava o aluno, que iria aprofundar seus conhecimentos na carreira para a qual estava estudando, e as empresas, que treinariam novas gerações de talentos para complementar seus quadros. Hoje o estágio é uma realidade, regulamentado por uma lei específica (Lei 11.788/2008), abrangendo estudantes do ensino médio, técnico, tecnológico e superior.

O Brasil em alerta máximo – Jornal da Ciência

O Brasil não precisa de mais professores. Precisa mudar radicalmente o perfil das pessoas que vêm para o magistério e o sistema de formação e carreiras. Vejamos os dados. O Brasil tem mais de 1,5 milhões de professores na educação básica – 40% deles com mais de 40 anos de idade. A cada ano, cerca de 30 mil professores ingressam no magistério. Em sua grande maioria, esses novos professores cursaram a escola pública, situam-se entre os 10% com piores notas no Enem e ganham entre 50 e 70% do salário médio de outras profissões equivalentes em anos de escolaridade.

Falsa prioridade – Jornal Zero Hora

Todos os governantes costumam insistir em que educação é prioridade, mas a cada início de ano letivo o que se constata são promessas descumpridas, escolas precárias e a sempre previsível e nunca resolvida falta de professores.

Crise no Ciência sem Fronteiras – Jornal O Estado de São Paulo

Lançado em 2011 pela presidente Dilma Rousseff como uma das mais importantes iniciativas de sua gestão no campo da educação, o programa Ciência sem Fronteiras – que prevê a concessão de 101 mil bolsas a estudantes interessados em fazer iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado no exterior – está enfrentando duas grandes dificuldades.

Professores de faculdades federais marcam paralisação de 24 horas – Jornal O Globo

Professores universitários em todo o país vão cruzar os braços no dia 19 de março de março. A medida faz parte do Plano Nacional de Lutas, definido neste fim de semana durante o 33º Congresso do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), em São Luis (MA).

MEC diz que anúncio de greve em federais é ‘prematuro’ – Revista Veja

O Ministério da Educação (MEC) declarou, em nota enviada ao site de VEJA, que considera “prematura a paralisação das atividades” nas universidades federais, anunciada por servidores no início desta semana. Segundo a pasta, “todos os esforços estão sendo feitos por parte do governo” para viabilizar os termos do acordo firmado em 2012 com a categoria. Naquele ano, professores e técnicos pararam as atividades em 58 das 59 universidades federais por 123 dias — a mais longa greve da história do ensino superior.

Projeto amplia cuidados com a saúde nas escolas públicas – Portal de Notícias do Senado

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) vota, em decisão terminativa, substitutivo da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) a projeto de autoria do então deputado Lobbe Neto, que institui a Política Nacional de Saúde na Escola (Pense), com a finalidade de contribuir para a formação integral dos estudantes e amplia os cuidados à rede pública de educação básica, por meio de ações de prevenção de agravos à saúde e de promoção e atenção à saúde.

Preconceito está nos professores e não nos alunos, diz docente transexual – Portal UOL

Docente há mais de 20 anos e transexual desde 2006, a gaúcha Marina Reidel pediu afastamento da escola da rede pública em que dava aula de artes para fazer sua transformação. Quando voltou, sentiu-se acolhida pelos estudantes, curiosos para saber sobre a mudança. Mas na sala dos professores, encontrou o preconceito entre os colegas.

Governo de GO vai custear 100% do passe livre estudantil – Portal Terra

O governo de Goiás anunciou nesta quarta-feira (19) que vai assumir a unificação do Passe Livre Estudantil (PLE) para estudantes de toda a região metropolitana da capital. A expectativa é que o benefício esteja disponível para os usuários a partir do dia 7 de março. O programa vai contemplar cerca de 115 mil alunos, estima o governo. Todos os municípios que fazem parte do sistema integrado de transporte coletivo serão beneficiados. O custo do programa, em torno de R$ 40 milhões, deve oferecer 48 viagens grátis por mês para cada estudante que esteja cursando desde o 5ª ano do Ensino Fundamental até o Ensino Superior.

Relatório da ONU alerta para sistemas educacionais que discriminam pessoas com deficiência – Portal da ONU no Brasil

Um estudo realizado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH ) mostra que os sistemas de ensino têm adotado abordagens discriminatórias em relação às pessoas com deficiência, muitas vezes, infringindo o direito à educação. Alguns estudantes são impossibilitados de frequentar a escola por causa de uma deficiência . Outros vão para colégios especiais, resultando em segregação. Ainda há aqueles que vão para colégios regulares, mas que são obrigados a se adaptar às normas da instituição.

‘Educação digital é necessidade’, diz especialista da Enciclopédia Britânica – Portal Techtudo

O vice-presidente e gerente geral de educação da Enciclopédia Britânica, Michael Ross, apresentou um panorama sobre tecnologia e educação durante a Contec 2014, em São Paulo. A conferência, uma realização da Feira do Livro de Frankfurt, em parceria com o Sesc SP, discute educação, tecnologia e literatura com escritores, professores e desenvolvedores interessados no futuro da aprendizagem interativa, com reflexo nos meios digitais nas escolas. Para Ross, a ‘educação digital é necessidade’.

Carta para Florestan Fernandes – Portal do Aprendiz

Caro Florestan, na minha provecta idade, estava crente de que já tinha visto tudo, mas estava imbuído daquele “engano de alma ledo e cego, que a fortuna não deixa durar muito”. Eis senão quando, este português, cioso da sua herança cultural, encontrou mais uma razão para reagir: a ocupação das escolas pela PM começará no Colégio… Fernando Pessoa. Por que não deixam o poeta em sossego? Por que se calam os educadores brasileiros, permitindo que a poesia e a pedagogia sejam vilipendiadas?

O Novo Instrumento de Avaliação de IES: avanços e retrocessos – Revista Gestão Universítária

No ano passado, quando o INEP, por meio da Nota Técnica Nº 08 CGACGIES/DAES/INEP, apresentou uma proposta de um novo Instrumento de Avaliação para as Instituições de Ensino Superior – IES, elaborado pela Comissão de Revisão dos Instrumentos, aprovada pela CONAES e pelo CNE em reuniões realizadas em dezembro de 2012 e janeiro de 2013, fiz uma matéria sobre o assunto ressaltando alguns avanços significativos sobre o novo instrumento.

Projeto “Ler é Bom, Experimente!” abre inscrições para escolas públicas de todo o País – Conexão Tocantins

A fim de proporcionar novas experiências com a literatura e reduzir o déficit literário no Brasil, o Grupo Projetos de Leitura criou há 13 anos o projeto “Ler é Bom, Experimente!”, aprovado pelo Ministério da Cultura e que tem o patrocínio do Grupo Segurador Banco Do Brasil e Mapfre e Sweetmix Indústria e Comércio. A partir do dia 17 de fevereiro, o grupo abre inscrições para escolas da rede pública participarem do projeto.

Plano Nacional de Educação em pauta – Gazeta do Oeste

Nos últimos meses, os educadores têm ouvido muito falar no Plano Nacional de Educação (PNE), cuja vigência é de 2011 a 2020. O que isso poderá trazer de melhoria para a educação brasileira? Se posto em prática, o PNE poderá fazer o país dar um salto de qualidade na educação e atingir níveis próximos aos de países desenvolvidos.

Em ação da PM, alunos fazem panfletagem para conscientizar motoristas – Campo Grande News

Além da presença de policiais, alunos do ensino fundamental participam da ação. O objetivo, segundo o comandante geral do BPTran, tenente-coronel Jonildo Theodoro de Oliveira, é chamar a atenção dos motoristas e pais. “A participação das crianças é importante porque os alunos se tornam multiplicadores para chamar a atenção dos motoristas e reforçar as regras de trânsito”, explica.

MEC articula freio nos cursos de direito – Jornal Estado de Minas

Este mês, o Ministério da Educação inicia uma série de visitas presenciais em todos os cursos de direito do país. As inspeções fazem parte de um pacote de medidas que a pasta, com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), vem articulando para frear a expansão sem qualidade. O projeto é resultado do alto índice de repetência de estudantes no Exame de Ordem Unificado da OAB, na maioria das vezes oriundos de um mesmo leque de instituições. Na época em que a parceria com a entidade foi firmada, o ministro Aloizio Mercadante chegou a dizer que é inaceitável que existam instituições que não consigam aprovar um único aluno. O MEC quer ainda saber o destino profissional dos formados depois que eles deixam as faculdades.

Ouça o programa “Pensar a Educação, Pensar o Brasil” da última segunda-feira, dia 17 de fevereiro de 2014

Tema: “Debates e embates da Educação brasileira em 2014

“Entrevistado: Carlos Roberto Jamil Cury

– RESENHA DA SEMANA –

Livro: História da Educação, de Cynthia Greive Veiga

Resenhista: Alice Cristhófaro

– PESQUISA EDUCACIONAL EM PAUTA –

Remuneração salarial de professores em redes públicas de ensino – Maria Dilnéia Espíndola Fernandes; Solange Jarcem Fernandes

O trabalho analisa a remuneração salarial de professores das redes de ensino estadual e municipal na cidade de Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, no período de 1998 a 2010, durante a vigência do Fundef e nos quatro primeiros anos de implementação do Fundeb. Trabalhou-se com a legislação nacional, estadual e municipal, indicadores educacionais do Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais “Anísio Teixeira”, documentos das secretarias estadual e municipal de educação, balanços gerais de contas de governos e as tabelas salariais oficialmente divulgadas. Constatou-se que não houve impactos significativos em termos de ganhos e/ou aumentos na remuneração de professores, como, a princípio, pareceram indicar as políticas de fundos contábeis.

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil 1822/2022

www.pensaraeducacao.com.br

www.facebook.com/pensaraeducacaopensarobrasil

twitter.com/pensareducacao

EQUIPE:

Coordenação: Luciano Mendes

Conteúdo e Produção: Isabella Brandão

Site: Sandra Ribas

Divulgação: Hercules Santos e Marcella Franca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *