Ciência e Tecnologia n.68

Ciência versus jornalismo: os contornos da crise – Por Juliana Botelho – Boletim UFMG

Existe no Brasil público com nível de escolaridade crescente e que demanda informações mais qualificadas e cientificamente embasadas. Se os jornais não atentarem para essa ênfase exagerada na produção científica do Hemisfério Norte, eles perderão um grande filão, assim como o trem da história da pesquisa científica no Brasil.

UFMG sedia encontro de reitores de universidades públicas baseadas em Minas– Notícia UFMG

Um dos principais pontos da pauta de discussões foi a criação de mestrado profissional em Gestão Pública, projeto da UFMG cujo objetivo é atender, primordialmente, servidores técnico-administrativos de universidades mineiras. De acordo com Jaime Ramírez, a proposta será apresentada às outras instituições do Foripes.

Gasto brasileiro com ciência é muito pouco eficiente, diz “Nature” – Por Gabriel Alves – Folha de São Paulo

José Eduardo Krieger, pró-reitor de pesquisa da USP, avalia o desempenho como “inadequado perante a grandeza do país”, já que o  Brasil se tivesse um desempenho de acordo com sua economia, deveria figurar entre os sete melhores do mundo.

Fórum de Editores de Saúde Coletiva contesta proposta de novos critérios do Portal SciELO – ABRASCO

‘A divulgação científica é uma parte essencial do processo de produção da ciência, e é fundamental que os atores-chave na área de ciência, tecnologia e inovação em nosso país tenham uma política clara, efetiva e não restritiva’

Especialistas debatem ética e integridade na pesquisa – Jornal da Ciência

As discussões na Unifesp centraram em  questões emergentes sobre a integridade científica. Em especial, na relação entre qualidade e financiamento de projetos, na comunicação responsável de resultados de pesquisa, além de questões culturais associadas a problemas de má-conduta científica, incluindo o plágio.

 

‘Lamentaria muito se os livros em papel desaparecessem’, diz Peter Burke, historiador do conhecimento – Notícias UFMG

Autor de duas obras seminais da historiografia social do conhecimento, que cobrem da invenção da imprensa, no século 15, até o advento da Wikipédia, o inglês Peter Burke pretende voltar suas atenções para um tema menos abrangente, mas certamente original: o papel dos intelectuais refugiados.

Estudo mostra perfil de estudantes de programas de iniciação científica – Por Mariana Tokarnia – Agência Brasil 

Pouco mais de um terço – 37,4% – dos estudantes de ensino superior participam de programas de iniciação científica no Brasil e, desses, 74,2% consideram que eles oferecem grande contribuição à formação do aluno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *