Incapacitados Para O Silêncio

Incapacitados para o silêncio

Ivane Laurete Perotti     _ Silêncio! _ Shhhhhhhhhhhhhh! _ Xiiiiiiiiiiiiiiiii! O sol toma solto o dia que avança. O horário das aulas intercala momentos de extremo caos com caos a todo o momento. Nesgas de silêncio não ganham espaço…

Leia Mais
Em Cena: O Sono

Em cena: o sono

- por uma infância na escola e uma escola na infância-   Ivane Laurete Perotti   Por qualquer ângulo que se espreitasse a sala de aula via-se alunos em estado de pleno adormecimento. Dormiam como se não houvesse amanhã. _…

Leia Mais
Carta De Um Aluno Ao Seu Professor

Carta de um aluno ao seu professor

Ivane Laurete Perotti   Professor, decidi escrever uma carta para você, já faz muito tempo. Eu não sabia como iniciar, daí esperei até agora. Então, vou começar dizendo que passo mais tempo com você aqui na escola do que passo…

Leia Mais
Fatias De Uma Loucura

Fatias de uma loucura

- ações da educação saudável –   Ivane Laurete Perotti   Se queres ser cego, sê-lo... se podes olhar, vê; se podes ver, repara. (José Saramago/Ensaio sobre a cegueira)     Em torno do ônibus os alunos aguardavam o sinal.…

Leia Mais
Palavras Em Movimento – Políticas De Insurreição

Palavras em movimento – políticas de insurreição

Ivane Laurete Perotti                                                              [...] a poesia não se serve de palavras. (SARTRE, 2004, p.13) Uma bola de capotão descia a rampa esburacada. Antiga aquela bola, muito antiga. A força de alguns sonhos rolavam-na pela vida afora. Não fosse…

Leia Mais
Sobre As Dores, As Mentiras E A Indiferença

Sobre as dores, as mentiras e a indiferença

uma canção para não adormecer Ivane Laurete Perotti “Eu só peço a Deus/ que a injustiça não me seja indiferente.” (Mercedes Sosa,1978) Veio abaixo o caixilho da porta. Carcomido pela investida dos tempos, o tabique desceu junto. O que antes…

Leia Mais
Brumas Pedagógicas – Parte II

Brumas Pedagógicas – parte II

- camaleões nasalizam consoantes linguodentais –   Ivane Laurete Perotti   Articulações à parte, Muthos arremessa vorazmente a sua língua. Como de costume, sem dar ponto aos modos, declina a si mesmo em versões narrativescas. Conta, o dito, com a…

Leia Mais