Jeshoots Com 357165 Unsplash

A pesquisa como metodologia de ensino

Samuel Willian Schwertner Costiche
Nathália Bender Tessaro
Raquel Angela Speck

 

O ato de pesquisar é um processo que tem o objetivo de nos fazer entrar em contato com a realidade desconhecida para que se nos revele as suas características e peculiaridades. A sua execução requer que sejam observados determinados critérios e que a sua metodologia integre uma dinâmica capaz de captar todos os aspectos do objeto estudado.

A pesquisa, compreendida com um processo de descoberta, de investigação da realidade, de busca de soluções, revela-se num amplo e construtivo processo de aprendizagem que envolve toda a complexidade do ato de conhecer. Porém, no sistema escolar, em contraposição a essa constatação, o processo de pesquisa sempre foi considerado um grande problema. A principal causa para essa realidade é que a pesquisa escolar se limita, na maioria das vezes, à cópia de informações e reprodução sem reflexão, e não a um processo investigativo, de busca, de construção e reinterpretação.

Um certo equívoco tem predominado, ainda, em nosso sistema escolar: a crença em que o conhecimento só se constrói dentro da sala de aula, onde o aluno, sentado e passivo, espera que o conteúdo seja apresentado pelo professor. Nesta relação bancária (ao arrepio de Paulo Freire), esquece-se que, na verdade, o conhecimento é adquirido de maneiras diferentes e dinâmicas. Aliás, quanto maior o envolvimento do aluno na busca pelo conhecimento, maiores a chances de um aprendizado mais concreto e significativo, conforme a valiosa lição nos ensinada por Pedro Demo.

Para que esse método alcance uma melhor visibilidade e aceitação no campo educacional, é necessário mudar a forma como costumeiramente se percebe esta metodologia. É importante que se passe a compreender este método de ensino e de aprendizagem como algo que tire o aluno e o professor de seus papéis tradicionais, e que ambos trilhem a caminhada do aprendizado. Para tanto, requer-se que o professor seja também um pesquisador e tenha pleno conhecimento do assunto, atuando como mediador do conhecimento. É fundamental instigar o aluno a ser autodidata, aguçando nele a vontade de pesquisar. Para que o aluno construa a sua autonomia, é de extrema importância que desde o início de sua formação não receba respostas prontas, mas que seja instigado à buscá-las. Ensinar a leitura e a interpretação, a reinterpretação e a produção própria. Sim, aluno também pode ser autor!

A pesquisa compõe e representa uma parte essencial do avanço pessoal e científico, razão pela qual, ao ser estimulada pela educação, consagra-se também como instrumento de interação social e de formação das futuras gerações, muito mais conectadas e digitais.  A metodologia da pesquisa tem, pois, o potencial de aproximar as novas gerações do conhecimento, favorecendo e apoiando os professores que desejam inovar em sala de aula.

 

Imagem de destaque: JESHOOTS.COM em Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *