Helice De DNA

CRISPR-Cas9: retalhando genes e costurando o tecido da vida

Com papel e tesoura podemos recortar imagens e construir figuras humanas de acordo com as nossas escolhas. A bricolagem com características físicas talvez pudesse dar conta do que representa a nova tecnologia CRISPR-Cas9. Trata-se da possibilidade de alterar o código genético de embriões,eliminando a chance de desenvolver doenças ou ainda alterando características físicas.

A questão que se apresenta é de cunho ético e precisa ser debatida amplamente. Estas provocações acerca das possibilidades da tecnologia CRISPR-Cas9 foram apresentadas e debatidas no último dia 16 de maio por ocasião do Pintof Science na cidade de Belo Horizonte com os professores da UFMG Santuza Maria Ribeiro Teixeira e Marco Aurélio Romano Silva.

Pint of Science 2018. Foto: Vanessa Macedo

A tecnologia é executava através da alteração que a enzima Cas9 permite no código genético, abrindo a possibilidade de retirar pedaços do código e substituí-los por outro de determinada característica. Resumindo, a Cas9 é uma enzima que corta o DNA e a CRISPR é um conjunto de sequências de DNA que informam à Cas9 onde cortar.

Esta alteração da informação do código genético, que é uma sequência determinada pelo cruzamento de células, permitiria que plantas, animais e até mesmo pessoas não desenvolvessem doenças, mas também que possam ser alteradas características físicas como uma ferramenta de design de seres humanos. A tecnologia é vista como um avanço da ciência e beneficiaria a própria medicina na prevenção do câncer e síndromes genéticas. Entretanto, também abriria, teoricamente, a possibilidade do uso para escolha de características físicas como cor dos cabelos, dos olhos, etc.

E se pudéssemos alterar a coloração dos cabelos de embriões de seres humanos, ou altura, ou até mesmo a cor da pele? Como em um cardápio em um restaurante, criaríamos uma nova vida determinada por escolhas estabelecidas em um laboratório. Com quais questões éticas estamos lidando quando abordamos este tema? E quais as consequências políticas da manipulação da existência humana a tal ponto?

Vanessa Macedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *