Fonte: @SIMIoficial Instagram

Pint of Science 2017

A informalidade e a descontração são pontos-chave para o Pint of Science.

Durante esta semana, cientistas do mundo inteiro saíram de seus gabinetes, salas de estudo, arquivos e laboratórios para conversar sobre ciência. O festival Pint of Science tem a intenção de ampliar as possibilidades de divulgação científica levando a discussão para bares.

O festival, em sua segunda edição em Belo Horizonte, reuniu público interessado e pesquisadores segunda, terça e quarta feira em 5 diferentes bares da cidade. A iniciativa é realizada na capital mineira pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG). O sucesso de 2016 foi o indicativo para uma nova edição. Segundo Vanessa Fagundes, Coordenadora da Assessoria de Comunicação Social da FAPEMIG “no ano passado tivemos a primeira edição em Belo Horizonte e a resposta do público foi muito grande. Foi um indicativo de que as pessoas estão interessadas, querem saber sobre ciência, e se esses pesquisadores vêm para um lugar descontraído como os bares, o resultado é melhor ainda.”

Ciborgues, a ciência da cerveja, Reforma do Ensino Médio, o futuro da mineração e o falar mineiro foram alguns dos temas deste ano. Segundo Vanessa Fagundes, a pluralidade de temas também é característica da programação “nossa proposta quando pensamos nos temas foram justamente privilegiar todas as áreas do conhecimento.”

Cada encontro levou dois pesquisadores do tema discutido para o bar. Os cientistas apresentaram pesquisas recentes a respeito de questões que fazem parte do dia a dia de todo brasileiro. Para o presidente da FAPEMIG, o professor Evaldo Vilela, o espaço descontraído ajuda a “desconstruir o estereótipo do pesquisador que vive isolado no laboratório além de aproximar a ciência das pessoas.”

Tão diversificada quanto a programação, foi o público dos debates. Estudantes, outros pesquisadores e curiosos se uniram nessas três noites para ao lado dos pesquisadores conhecer e brindar a ciência.

Thayse Menezes

Yolanda Assunção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *