Nota

Nota de repúdio do Pensar a Educação Pensar o Brasil

Nota de repúdio do Pensar a Educação Pensar o Brasil à violência policial sofrida por professoras da Educação Infantil da PBH

O Projeto de Ensino, Pesquisa e Extensão Pensar a Educação, Pensar o Brasil (1822/2022) repudia a violência policial sofrida por professoras da Educação Infantil de Belo Horizonte no dia 23 de abril de 2018. Após a realização de assembleia que decidiu pela continuidade da greve, cujo objetivo é a equiparação da Carreira da Educação Infantil à Carreira do Ensino Fundamental no município de Belo Horizonte, as professoras da Educação Infantil que estão em greve seguiram para a Prefeitura de Belo Horizonte. Ainda que diante de uma manifestação pacífica e que contava, ainda, com a participação de crianças, iniciou-se o ataque pela PMMG. Não podemos considerar normal que mais uma grande cidade brasileira responda aos anseios de seus docentes com balas de borracha, gás lacrimogêneo, jatos de água e prisões arbitrárias. O PEPB é veementemente contra a retirada de direitos dos profissionais da educação básica brasileira e se solidariza com as professoras de Belo Horizonte que lutam por seus direitos.

 

Pensar a Educação, Pensar o Brasil (1822/2022)

 

Veja, abaixo, vídeo produzido pelo Sind-Rede/BH:

URGENTE: Professores da Educação Infantil em greve são atacados na porta da PBH por forte aparato da PM

URGENTE: Manifestação pacifica das Professoras da Educação Infantil que estão em greve e esperava uma resposta do prefeito Kalil (PHS) às suas pautas são fortemente atacados por forte aparato da PM. Bombas de efeito moral, spray de pimenta, gás lacrimogenio e jatos d'água foram usados contra as professoras que lutam pela equipação da carreira da Educação Infantil. Confirmada a prisão pela Polícia Militar de dois Diretores do Sind-REDE/BH. A maioria da manifestação era composta por mulheres e crianças. Lutar não é crime!

Posted by Sind-REDE on Monday, April 23, 2018