Curitiba 30 10 2018 Ato Ninguém Solta A Mão De Ninguém - Mulheres Da UFPR Resistem, Nesta Terça-feira (30/10) Na Praça Santos Andrade, Em Curitiba. Fotos: Cláudio Kbene

Mais alegre ainda no meio da tristeza

Editorial do Jornal Pensar a Educação em Pauta, Ano 6 – Nº 220/ Quinta-feira, 01 de Novembro de 2018

Existir. Resistir. Lutar. Porque a Vida sempre continua. E nossas utopias, também!
O sábio Riobaldo Tatarana, que Guimarães Rosa nos deu, nos inspira:

Todo caminho da gente é resvaloso. Mas também, cair não prejudica demais. A gente levanta, a gente sobe, a gente volta!… O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. O que Deus quer é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre a mais, no meio da alegria, e inda mais alegre ainda no meio da tristeza!
(Riobaldo Tatarana, Grande Sertão: Veredas, João Guimarães Rosa)

Com coragem e com alegria, vamos adiante com nossas lutas. Já sabemos bem o que nos aguarda nos próximos tempos.
Não há lugar e tempo para a ilusão.
Tampouco para a omissão.
Mas há sempre lugar para a Esperança que brota da resistência.
Resistir à barbárie é o princípio que nos inspira.
Esperança de um Brasil Bonito é o que nos move.
Desejos orientam desde sempre nossas ações.
Desejamos a Democracia e a Justiça em nosso País.
Desejamos continuar avançando em nossas práticas civilizatórias.
Desejamos as políticas públicas necessárias ao fortalecimento da cidadania emancipada: educação, ciência, cultura, saúde, trabalho, lazer, e tanto mais que sonharmos.
Desejamos ficar com os movimentos sociais, com as forças democráticas, colaborando para a superação de nossas misérias humanas, para criar as condições da vida boa e digna para todas as pessoas.
Sempre fomos assim, e assim seguiremos sendo.
E é por isso que a vida sempre continua!
Continua no “Poeminho do Contra” que Mário Quintana escreveu em outros tempos sombrios, e hoje nos acalenta o espírito.

“Todos esses que aí estão

Atravancando meu caminho,

Eles passarão…

Eu passarinho!”

E como sempre é preciso cantar, a Vida continua também com o Samba da Utopia.

 

Viver. Existir. Resistir. Lutar. Com alegria. Viva a Vida!


Imagem de destaque: Ato Ninguém Solta a Mão de Ninguém – Mulheres da UFPR Resistem, 30/10/2018 em Curitiba. Foto: Cláudio Kbene