Aqui Somos SUS – 2

EM DEFESA DO SUS !

Editorial da edição 269 do Jornal Pensar a Educação em Pauta

Vivemos um momento particularmente dramático no mundo. A COVID-19 se espalha por vários países criando situações dramáticas. Num mundo organizado tecnicamente por sofisticadas tecnologias e em que as pessoas se auto representam como os “donos do planeta”, um vírus, coloca em questão, em alguns poucos dias, as complexas estruturas sociais, políticas e econômicas que, segundo nossas elites mais ou menos esclarecidas, viriam criar um mundo de satisfação e bem estar social para a humanidade.

É certo que para boa parte da elite política e econômica do mundo todo e, particularmente, do Brasil, o estado de satisfação e bem estar social que deveria ser para todos, tem sido apenas para alguns, numa perspectiva seletiva e excludente de acesso. Por exemplo, a Emenda Constitucional 95/2016, que provoca a diminuição real dos gastos públicos, significou uma retirada  de R$ 20 bilhões da saúde desde o início de sua vigência, em 2017.

Para o Sistema Único de Saúde (SUS), fruto de uma política decorrente da garantia Constitucional do Direito Universal ao acesso à atenção à saúde, medidas restritivas de financiamento comprometem a sua atuação e qualidade. No entanto, no momento em que o Brasil corre o risco de viver mais um desastre sanitário decorrente da pandemia do Coronavírus, é o SUS a única possibilidade da maioria da população ter acesso a todos os cuidados à saúde para o enfrentamento da doença. A participação do SUS está nas medidas de controle, no diagnóstico, na assistência, na busca por tratamento, por vacinas e muito mais.

A enfática defesa do SUS é, neste momento, uma responsabilidade de toda a sociedade brasileira. Quando a pandemia passar, seguramente estaremos num cenário mais complexo e agravado do que o que vivemos hoje, pois  ainda teremos milhões de desempregados e as mesmas emergências já conhecidas tais como a dengue, o sarampo, a violência, a fome e a pobreza. E tudo isso, num contexto político em que abundam as propostas de reformas para enfraquecer o Estado brasileiro e as políticas públicas.

Seja nos momentos dramáticos que passaremos a viver nas próximas semanas, seja nos momentos posteriores à pandemia, o SUS é a única aposta possível se queremos políticas e ações inclusivas, públicas e garantidoras do bem estar social para o conjunto do povo brasileiro, e não apenas para os grupos privilegiados.

Fortalecer, consolidar e defender o SUS. Esse tem que ser o compromisso de toda a sociedade brasileira. O SUS é resistência e esperança. O SUS é um patrimônio do Brasil, de todos nós.

*Este Editorial teve a colaboração da profa. Zélia Profeta, Diretora da FIOCRUZ Minas.


Imagem de destaque: Campanha Aqui Somos SUS/  Fiocruz