Ampliando horizontes

A última conferência do XII Seminário Anual: Mídias, Educação e Espaço Público destacou experiências de educação que promoveram diversos ambientes de aprendizagem a partir das mídias

Foto: Thiago Rosado

Na ultima quinta feira, dia 29, o Pensar a Educação, Pensar o Brasil realizou a ultima conferência do seu XII Seminário Anual. Fechando as discussões com o tema Mídias, Educação e Espaço Público, o Auditório Neidson Rodrigues da Faculdade de Educação da UFMG recebeu duas experiências de comunicação e educação: o coletivo de professores Terra Negra e a Associação Imagem Comunitária (AIC). Os projetos que atuam em Belo Horizonte e outros lugares do país e do mundo compartilharam a experiência e os desafios da elaboração de iniciativas que se estabelecem na relação entre educação e comunicação fazendo uso das mídias tradicionais e digitais. A conferência Experiências de educação na comunicação: o desafio da construção de projetos no cenário público discutiu a presença desses projetos em meio a outras instâncias educativas, inclusive a própria escola.

O coletivo Terra Negra foi representado pelos professores João Marcelo Torres Madureira e Percy Fernandes, fundadores da iniciativa ao lado de Juninho Lopes e Vitor Augusto. Eles falaram a respeito da experiência em sala de aula, com “alunos do século XXI, professores do século XX e uma escola do século XIX” e da necessidade que sentiram de expandir os conteúdos e possibilidades para tornar o aprendizado mais completo e atrativo. A partir de expedições, os professores passaram a criar conteúdo para o YouTube, realizando uma experiência de divulgação científica, indo além da sala de aula, mas ainda assim, respeitando esse espaço único de aprendizagem.

Foto: Thiago Rosado

Os professores contaram como a iniciativa tem mudado a relação dos alunos com o conteúdo, mas principalmente a percepção dos professores quanto ao uso das mais diversas mídias. Eles destacaram o desafio de reconhecer e se adequar à linguagem dos meios eletrônicos e principalmente a maneira de se colocar no mundo onde tais meios são tão presentes. Segundo eles, hoje vivemos num dilúvio de informação é necessário orientar os estudantes como nadar nesse ambiente. Eles lembram a função de mediação desempenhada pela figura do professor, aliando diversas fontes e possibilidades de produção de conhecimento.

As designers gráfico Mila Barone e Jéssica Kawaguiski e a Relações Públicas Jessica Caldeira representaram a Associação Imagem Comunitária (AIC) na conferência. A AIC atua desde 2003 com a intenção de promover o direito à comunicação e à expressão, além da valorização da diversidade cultural, do exercício da cidadania e da democracia. A partir de algumas experiências realizadas por todo Brasil, as profissionais destacaram a relação de parceria estabelecida entre a AIC, escolas e a comunidade. Elas apontaram ainda a importância de reconhecer as potencialidades do ambiente escolar e todos os atores inseridos ali.

Foto: Thiago Rosado

A apresentação exibiu registros e produtos resultantes de oficinas realizadas em comunidades rurais e urbanas e destacam como a AIC atua na valorização das características locais nas vivências das crianças e adolescentes envolvidas nos processos educativos. As oficineiras reforçaram a intenção de, a partir das mais diversas mídias, fomentar a autonomia e o protagonismo dos indivíduos e o desenvolvimento das mais diversas competências socioemocionais.

 

A conferência Experiências de educação na comunicação: o desafio da construção de projetos no cenário público encerrou a programação do XII Seminário Anual do Pensar a Educação, Pensar o Brasil.