Prof. Marcus Taborda

A representação feita no Ministério Publico de MG contra o “Grupo de Estudos e Pesquisas Marx, Trabalho e Educação” da Faculdade de Educação da UFMG

Neste mês o Ministério Público Federal em Minas Gerais recusou representação feita anonimamente contra o “Grupo de Estudos e Pesquisas Marx, Trabalho e Educação” da Faculdade de Educação da UFMG. O pedido de abertura de inquérito alegava que o grupo “representa um balão de ensaio para que militantes da esquerda, bancados com recursos públicos, doutrinassem alunos”. Mas o Ministério Público entendeu que é preciso garantir o pluralismo ideológico e também da autonomia da universidade. Na coluna de hoje, o professor Marcus Taborda da Faculdade de Educação da UFMG conversou com o jornalista Vinicius Luiz sobre o assunto.